Por adriano.araujo
Publicado 06/11/2014 11:02 | Atualizado 06/11/2014 17:11

Rio - A Justiça revogou na terça-feira a prisão de 41 acusados por tráfico de drogas no Complexo do Alemão, que foram denunciados pela Operação Urano, do Ministério Público do Rio, realizada em setembro deste ano. A informação foi divulgada no Bom Dia Rio, ?da TV Globo. Durante a operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), 21 dos 41 mandados de prisão foram cumpridos, além de outras quatro prisões em flagrante. 

LEIA MAIS: Polícia investigará se detidos no Alemão podem ter matado PMs

A revogação foi deferida pela 6ª Câmara Criminal. Procurado, o MP disse que o pedido de prisão foi feito pela Promotoria de Justiça que atua junto à 23ª Vara Criminal e acompanha o caso, com base no risco que os presos apresentam para o andamento da investigação.

O pedido foi deferido pela juíza do 25ª Vara Criminal e os acusados continuam presos, já que não houve tempo do alvará de soltura ser cumprido. O Tribunal de Justiça do Rio foi procurado para falar sobre a decisão, mas não atendeu as ligações.

Apontado como o chefe do tráfico no Complexo do Alemão%2C Edson Silva de Souza%2C o Orelha%2C foi preso durante a Operação Urano, em setembro. Prisão foi revogada pela JustiçaFabio Gonçalves / Agência O Dia

Foram denunciados pelo MPRJ, com base em investigação da 45ª DP (Complexo do Alemão) em conjunto com a Subsecretaria de Inteligência (SSINT), da Secretaria de Estado de Segurança Pública, o líder da quadrilha Edson Silva De Sousa, conhecido como Orelha, que foi um dos presos, e mais 40 comparsas, entre eles o gerente-geral Igor Cristiano Santos de Freitas, o King ou Iguinho. O objetivo da ação era identificar os responsáveis por tentar desestabilizar o processo de pacificação na comunidade.

Você pode gostar