Por thiago.antunes
Publicado 06/11/2014 18:11 | Atualizado 06/11/2014 18:36

Rio - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) apresentou, nesta quarta-feira, novo pedido de prisão preventiva contra 25 acusados por associação criminosa e tráfico de drogas no Complexo do Alemão, capturados na Operação Urano, no último dia 18 de setembro. O pedido foi aceito pela juíza Marcela Assad Caram, da 25ª Vara Criminal da Capital, mas foi divulgado pelo órgão somente neste quinta.

Na terça-feira, ao julgar um pedido de habeas corpus, cujo relator foi o desembargador Fernando Antônio de Almeida, a 6ª Câmara Criminal do TJRJ concedeu alvará de soltura aos presos. Porém, com a atuação do MP e a nova decisão tomada pela Justiça, o alvará não chegou a ser cumprido e os acusados permanecerão presos. De acordo com a nova decisão da juíza da 25ª Vara Criminal, os "réus oferecem risco à ordem pública e à instrução criminal. Soltos, eles poderiam ameaçar testemunhas ou até mesmo fugir".

Os 25 acusados estiveram envolvidos no ataque à Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no Alemão, no incêndio de veículos próximo à unidade e em diversos confrontos envolvendo os traficantes e policiais militares.

Assad lembrou, ainda, que a denúncia aconteceu pelo farto trabalho investigativo, realizado pelo Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado do MPRJ e pela Polícia Civil, envolvendo escutas telefônicas com autorização judicial e mandados de busca e apreensão, na qual foram coletados indícios suficientes de autoria dos crimes pelos réus.

Você pode gostar