Por nicolas.satriano

Rio - Após a prisão do presidente da Associação de Moradores do Gogó da Ema, Carlos Henrique de Oliveira, acusado de envolvimento na invasão do condomínio da "Minha Casa, Minha Vida", em Guadalupe, o delegado Hércules Pires Nascimento informou em coletiva na manhã desta sexta-feira que o caso na Zona Norte da cidade pode ser mais complexo: 

"Existem outros inquéritos independentes que apontam a relação do tráfico com outros imóveis da região", afirmou o titular da 31ª DP (Ricardo de Albuquerque). 

Também segundo o delegado, Carlos Henrique de Oliveira já estava sendo investigado por comercializar imóveis do "Minha Casa, Minha Vida" e, durante a operação que resultou na prisão do presidente da associação de moradores, foram apreendidos documentos na própria sede da instituição e cartuchos de bala vazios.  

Saiba:

PM continuará reforçando a segurança em condomínio, garante coronel

Invasores de condomínio deixam o local sem nenhum tipo de resistência

Invasores do Residencial Guadalupe, conjunto habitacional do 'Minha Casa, Minha Vida', deixaram os apartamentos na última quarta-feira após decisão judicialFoto%3A Severino Silva / Agência O Dia

Segundo investigações da polícia, Carlos Henrique e Paulo Aquino, que foi candidato a deputado estadual e também teve mandado de prisão expedido pela Justiça, agiram como organizadores da invasão.

Na mesma operação, policiais da 39ª DP (Pavuna) prenderam Davi da Conceição Carvalho, um dos traficantes do Chapadão. Contra ele haviam pendentes dois mandados por tráfico de drogas, dois por homicídio e um por roubo a mão armada.

Tiroteio assusta moradores

Um intenso tiroteio assustou os moradores da Favela do Gogó da Ema na manhã desta sexta feira. Bandidos trocaram tiros com policiais, mas não há informações sobre feridos.

Você pode gostar