Beltrame convoca reunião com a cúpula de segurança para discutir ataques a PMs

'Precisamos do Legislativo, do Judiciário, do sistema prisional, nós precisamos de trabalho forte em fronteira', acrescentou o secretário de Segurança Pública

Por O Dia

Rio - O sercretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, se pronunciou, neste domingo, a respeito dos ataques simultâneos em três lugares diferentes que culminaram na morte de três policiais militares e o irmão de um soldado na noite deste sábado. O secretário disse que é necessário ações fortes com relações a menores de idade e ações institucionais articuladas. 

Secretário de Segurança Pública José Mariano Beltrame disse que é necessário ações institucionais articuladas para conter ataques a PMsCarlos Moraes / Agência O Dia

"Nós vamos atrás dos autores desses episódios. Amanhã [segunda] mesmo nós vamos ter uma reunião com a PM e com a Civil onde pretendemos articular algumas ações. Gostaria nesse momento de dizer que precisamos de ações institucionais articuladas. Precisamos do Legislativo, do Juciário, do sistema prisional, nós precisamos de trabalho forte em fronteira. Nós precisamos de segurança primária. Nós precisamos de ações fortes com relação a menores", declarou Beltrame, que estava em um evento no Maracanãzinho, na Zona Norte do Rio. 

Seis mortes em uma semana 

Em apenas uma semana, cinco policiais militares e um cabo da Força de Pacificação do Exército foram executados em vários registros de violência na Zona Norte e Baixada Fluminense do Rio. Somente neste sábado, trê policiais foram assassinados em lugares distintos — Magé, Vilar dos Telles e Rocha Miranda — Um soldado lotado na UPP do Morro do Turano estava acompanhado do irmão, que também foi alvejado com tiros de fuzil na Favela do Dique, em Vilar dos Telles. 

Criança é baleada durante tiroteio e está em estado grave

O subtenente Jorge Henrique Xavier, lotado no 16º BPM (Olaria), chegava em sua casa em Magé quando os bandidos efetuaram os disparos. De acordo com policiais, ele foi alvejado com 17 tiros de fuzil. Já o subtenente Jorge Serrão lotado no 21º BPM (São Cristóvão) foi morto perto de sua casa, em Rocha Miranda. De acordo com policiais, bandidos teriam tentado assaltá-lo quando o pm reagiu. Ele chegou a ser levado para uma clínica médica particular, mas não resistiu aos ferimentos. Todos os ataques ocorreram por volta das 20h da noite. 

Ordem teria vindo do Comando Vermelho

Segundo informações, uma ordem foi dada pela facção Comando Vermelho para que criminosos exterminassem os policiais da região. A ordem teriam vindo do presídio de Bangu 3, mas a Secretaria de Estado de Segurança nega a informação. "De acordo com a Subsecretaria de Inteligência da Seseg, não há informações de que existam ordens oriundas de presídios para ataques a PMs ou de que os casos ocorridos nos últimos dias possuam relação entre si”, informou em comunicado. 


Últimas de Rio De Janeiro