Três policiais são mortos em menos de três horas na Zona Norte e Baixada

Uma das vítimas chegava em casa quando foi alvejada por 17 tiros na Baixada Fluminense. O irmão de um soldado também morreu no ataque

Por O Dia

Subtenente Jorge Ferrão foi morto durante tentativa de assalto na região de Rocha Miranda%2C na Zona NorteDivulgação

Rio - Três policiais militares foram mortos em menos de três horas nas regiões da Baixada Fluminense e Zona Norte do Rio na noite deste sábado. O subtentente Jorge Serrão, do 21º BPM (São João de Meriti) foi morto durante uma tentativa de assalto por volta das 20h deste sábado, próximo a sua residência.

O crime aconteceu na Rua Lageado, na área do 9º BPM, em Rocha Miranda. Dois criminosos a pé anunciaram o assalto e teriam reconhecido o subtenente. O PM chegou a ser levado para a Clínica Médica Rocha Miranda, mas não resistiu aos ferimentos. Os bandidos fugiram.

Jorge Serrão tinha 32 anos de corporação e era conhecido como um policial exemplar, segundo PMs do 21º BPM. Ele era casado e tinha três filhos. O corpo de Jorge deve ser sepultado nesta segunda-feira, em Sulacap.

PM alvejado com 17 tiros de fuzil

Um outro PM  foi assassinado na Baixada Fluminense por volta das 21h. O subtenente Jorge Henrique Xavier, lotado no 16º BPM (Olaria), chegava em sua casa em Magé quando os bandidos efetuaram os disparos. De acordo com policiais, ele foi alvejado com 17 tiros de fuzil, incluindo na cabeça.

Policial sonhava em ser engenheiro

O terceiro policial assassinado era lotado na UPP do Turano. O soldado Diego Santos de Oliveira, de 25 anos, também do 21º BPM, foi alvejado por volta das 21h. Ele e o irmão Diogo Santos de Oliveira, 27 anos, estavam na favela do Dique, em Vilar dos Telles, também na Baixada Fluminense. Segundo parentes, os dois estavam em uma moto, próximo ao Morro da Pedrinha, quando foram surpreendidos por assaltantes. O PM, que estava na garupa, teria reagido ao assalto e os dois foram alvejados com tiros no peito. Diego e o irmão morreram no local.

De acordo com um amigo dos irmãos, John Paiva, os bandidos levaram os pertences e a arma do policial, que estava de férias. "A situação da PM hoje em dia é lastimável, pois parece que o policial está algemado e os bandidos estão soltos. Fazem o que querem", desabafou o amigo.

O irmão dos dois, Douglas Santos, de 27 anos, disse que a família está arrasada e que o policial estava há três anos e meio na corporação, foi para o Alemão e depois voltou para o Turano há poucos meses. "Minha mãe está abalada, arrasada, perdeu dois filhos de uma só vez".

Segundo Douglas, Diego Santos, apesar de gostar da farda policial e amar a profissão, era formado em engenharia pela UNIG (Universidade Iguaçu) há dois anos e tinha o sonho de seguir apenas a carreira de engenheiro.

Os corpos do PM e do irmão estão no Instituto Médico Legal (IML) de Duque de Caxias e, segundo a família, vão ser enterrados, nesta segunda-feira, no cemitério de Vila Rosali, em São João de Meriti, ainda sem hora definida. Em nota, a PM afirmou que a Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) investiga o caso.

Ordem teria vindo do Comando Vermelho

Segundo informações, uma ordem foi dada pela facção Comando Vermelho para que criminosos exterminassem os policiais da região. A ordem teriam vindo do presídio de Bangu 3.

Últimas de Rio De Janeiro