Megaoperação da Polícia Civil fecha comércio popular da Uruguaiana

Lojas já foram reabertas no início desta tarde; Segundo delegada, vendedores estão lucrando mais que o narcotráfico

Por O Dia

Rio - Para marcar o Dia Nacional de Combate à Pirataria, comemorado nesta terça-feira, a Polícia Civil realizou megaoperação com mil agentes em várias cidades do Rio para apreender mercadorias falsificadas. O foco da ação foi identificar locais de produção, distribuição e venda, principalmente, de calçados. Quatro pessoas acabaram detidas e vão responder por crime de violação de direitos à propriedade industrial, cuja pena varia de um a três meses de prisão.

Agente carrega parte do material apreendido em megaoperaçãoFabio Gonçalves / Agência O Dia

No Camelódromo da Uruguaiana, grande parte dos donos de boxes decidiu fechar as portas após a chegada de agentes, na manhã desta terça. A ação começou na véspera. Segundo a delegada Valéria Aragão, da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial (DRCPIm), 2.500 pares de tênis falsificados foram apreendidos na Uruguaiana, segunda-feira.

A punição branda faz com que os envolvidos sejam reincidentes, disse Valéria Aragão. Segundo ela, a pirataria chega a movimentar mais dinheiro do que o tráfico de drogas. Ela citou que há pesquisas que mostram que mais da metade dos brasileiros já consumiu produtos falsificados por conta do valor mais baixo.

“Pirataria é problema de segurança pública e é o crime que mais cresce no Brasil”, disse a delegada.
Porém, poucos compradores se preocupam com os riscos aos quais estão submetidos com o consumo desses itens. Um tênis falsificado pode causar problemas de saúde como lesões na coluna e nas articulações.

Ideia é conscientizar

Para Valéria Aragão, o grande objetivo da ação é conscientizar a população. “Essa operação não foi apenas para reprimir, mas também para conscientizar a população dos perigos de usar produtos falsificados”. De acordo com diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), André Drummond, todos as delegacias do estado participaram simultaneamente da operação.

Na Região Metropolitana, cada unidade cumpriu mandados de busca e apreensão e checou informações nas suas áreas de atuação. Ele frisou que a ação acontece um dia antes do Dia Nacional de Combate à Pirataria porque quem comete esse crime já espera ações policiais nessas datas.

Pesquisa da Fecomércio/RJ mostrou que o consumo de produtos piratas no Brasil diminuiu pelo terceiro ano consecutivo. De acordo com o levantamento, 27,9% dos brasileiros (cerca de 40,4 milhões) afirmam comprar itens falsificados.

Últimas de Rio De Janeiro