Sala Cecília Meireles reabre após quatro anos em obra

Principal espaço de música de concerto, na Lapa, dobrou de tamanho, ganhou nova acústica e cadeiras especiais para deficientes

Por O Dia

Rio - Um dos mais tradicionais espaços de música do país, a Sala Cecília Meireles, na Lapa, foi reinaugurada na noite desta quinta, com um concerto de voz e piano para convidados e autoridades, depois de ficar quatro anos fechada para obras de restauro e modernização. Estiveram presentes na cerimônia o governador Luiz Fernando Pezão, o prefeito Eduardo Paes, o ex-governador Sérgio Cabral Filho e seu pai, Sérgio Cabral. A reforma custou R$ 47,5 milhões, incluindo equipamentos, sinalização e mobiliário.

Tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), o prédio do fim do século 19 ganhou um novo mezzanino com cafeteria, sala multiuso para ensaios e painéis acústicos importados da Irlanda. Além disso, o espaço interno dobrou de tamanho para oferecer mais conforto e acessibilidade para pessoas com deficiência física.

Reinauguração do espaço%2C tombado pelo patrimônio estadual%2C contou com concerto de voz e piano ontemKarla Prado / Agência O Dia

A secretária estadual de Cultura, Adriana Rattes, se emocionou ao agradecer aos patrocinadores e ao governo pela recuperação do local. “Tenho muita honra de agradecer ao governador Pezão e ao Cabral. Este é um projeto grandioso que mudou o Rio”, disse Adriana.

Com a reforma, a fachada da sala, criada em 1965 em homenagem à poeta Cecília Meireles, ganhou uma enorme janela com vista para a boemia da Lapa. “Todo o projeto foi executado para que a sala não perdesse a condição de melhor acústica da América do Sul”, disse o presidente da Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio (Emop), Ícaro Moreno, responsável pela obra. O principal espaço de música de concerto reabre hoje ao público, com programação eclética, do erudito ao popular, a preços acessíveis.

Últimas de Rio De Janeiro