Esposa de traficante é presa durante operação da Polícia Civil

Mulher de Marcelo Piloto, 'Gorda' é acusada de negociar a venda de drogas para o marido, que está foragido; segundo a polícia, ela ainda recebia ordens de dentro de presídios

Por O Dia

Presa em casa%2C no Morro do Urubu%2C Karen Cristina da Silva tem uma tatuagem no braço esquerdo em homenagem ao marido%2C o traficante Marcelo PilotoSeverino Silva / Agência O Dia

Rio - Karen Cristina da Silva, esposa de um dos traficantes mais procurados do Rio, foi presa na manhã desta segunda-feira, dentro de casa, no Morro do Urubu, em Pilares, na Zona Norte. Conhecida como Gorda, a mulher de Marcelo Fernando Pinheiro Veiga - o Marcelo Piloto, ex-chefe do Complexo de Manguinhos - é acusada de coordenar e negociar a venda de drogas para o criminoso, que está foragido. Ainda segundo a polícia, ela recebia ordens que vinham dos presídios e negociava a venda de drogas.

De acordo com a 21ª DP (Bonsucesso), responsável pelas investigações, Gorda era essencial para a manutenção do poder do marido no tráfico. Ela recebia ordens de Marcelo Piloto e as repassava para outros traficantes. Além disso, ela passou a exercer a função de Piloto, comandando a compra e a venda de entorpecentes do grupo.

A prisão de Karen faz parte da Operação Cidadania da Polícia Civil. Durante a ação, os policiais apreenderam com ela um carro e uma pasta com documentos que estão sendo analisados pelos agentes da 21ª DP (Bonsucesso). 

Além de Karen, que tem ainda uma tatuagem no braço esquerdo escrita "Marcelo amor eterno", foram presas mais cinco pessoas na operação. Além disso, foram cumpridos mais sete mandados de prisão contra traficantes que já cumprem pena.

Operação continuará para cumprir mandados

A Operação Cidadania tem como objetivo cumprir 17 mandados de prisão e sete de busca e apreensão nas comunidades do Mandela/Arara, em Manguinhos, além de outras da Zona Norte, Baixada Fluminense e Região dos Lagos.

No Morro do Urubu, onde a esposa de Piloto foi presa, houve um registro de confronto entre os traficante e policiais, mas ninguém ficou ferido. Em Manguinhos, os agentes prenderam um homem identificado como "Nego de Antares".

Organograma apresentado pela polícia dos traficantes procurados na Operação Cidadania. Alguns deles já cumpriam pena no Complexo de GericinóSeverino Silva / Agência O Dia

Segundo as investigações da 21ª DP, após a pacificação da comunidade de Manguinhos, no início do ano passado, Marcelo Piloto fica transitando entre o Rio de Janeiro e Paraguai. Ele é acusado de participar do resgate do traficante Diogo de Souza Feitoza, o DG, da 25ªDP (Engenho Novo), em julho de 2012. O Disque-Denúncia oferece R$ 2 mil por informações sobre o paradeiro do traficante.

ESCUTA

Com autorização da Justiça, escuta flagrou ameaça de traficante preso a rodoviário:
Traficante - “Presta atenção, sou do tráfico de drogas. Quero saber se tem como liberar um ônibus, às 16h, para o enterro de um morador da comunidade na igreja.
Rodoviário - “Nosso procedimento exige um e-mail ou ofício solicitando.
Traficante - “Isso aqui é o tráfico de drogas. Não tem bagulho de e-mail, não. Se tiver caô, paro o ônibus aí”.
Rodoviário - “Trabalhamos dessa forma”.
Traficante - “Você que ver como eu trabalho? Vou desligar, e você vai dizer: ‘O chefe me ligou e solicitou’. Vou mandar meu ofício, meus funcionários. Vai ser a última vez que seu ônibus passou por aí. Avisa que meu nome é Papagaio”.


Últimas de Rio De Janeiro