Polícia realiza operação para reintegração de posse no Alemão

Objetivo é a retirada de 400 famílias que invadiram uma antiga fábrica em março

Por O Dia

Rio - Policiais militares de diversos batalhões e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão fazem na manhã desta terça-feira, uma operação de reintegração de posse na Estrada do Itararé, no Complexo do Alemão. O objetivo da ação, que visa cumprir uma ordem do Tribunal de Justiça do Rio, é a retirada de 400 famílias que invadiram uma antiga fábrica de plásticos na região.

As famílias estão deixando a antiga fábrica sem nenhum tipo de problema. Eles estão sendo encaminhados de ônibus para o Olaria Atlético Clube, aonde está sendo realizado o cadastro. Os pertences deles estão sendo colocados em caminhões e levados para um depósito no bairro da Tijuca.

Cerca de 400 famílias deixam nesta terça-feira uma antiga fábrica invadida no Complexo do Alemão após decisão judicialFabio Gonçalves / Agência O Dia

De acordo com o relações públicas da PM, tenente-coronel Cláudio Souza, a estratégia utilizada é a mesma a reintegração do Residencial Guadalupe, no mês passado. "A reintegração de posse está sendo feita no mesmo molde do Residencial Guadalupe, que foi um sucesso, sem nenhum problema. A negociação estava feita com os moradores desde a semana passada", diz.

Os policiais, segundo o tenente-coronel, estão desde a madrugada no Complexo do Alemão sem nenhum tipo de confronto. "O Comando de Operações Especiais ocupou às 4h o Complexo do Alemão e não teve nenhum registro de confronto. Até agora a saída das famílias está acontecendo de forma voluntária".

Carlos Alberto da Conceição, presidente de moradores da antiga fábrica, disse que os invasores estavam saindo desde a semana passada e que a condição aceita pelo grupo foi a promessa de que eles serão encaminhados para um abrigo.

"Decidimos sair na paz. A gente estava negociando com a PM desde a semana passada. A gente tinha acordado que seríamos cadastrados e ser levados para um abrigo. Mas ainda não sabemos para qual lugar vamos ser levados".

As famílias que estavam na antiga fábrica de plásticos fizeram um cadastro na quadra do Olaria Atlético Clube para aonde foram levadosSeverino Silva / Agência O Dia

Escolas estaduais e municipais da região estão fechadas

Ainda nesta manhã, os policiais do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos vão entrar na antiga fábrica com os oficiais de Justiça. Eles farão uma varredura para ver se encontram drogas ou pessoas que se recusem a deixar o local.

Por conta da operação, o comércio local está fechado, assim como duas escolas da rede estadual de ensino. Com isso, segundo a Secretaria de Estado de Educação, 701 alunos estão sem aulas. Já na rede municipal, quatro escolas, quatro Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs) e uma creche estão com as portas fechadas. O teleférico do Alemão está funcionando normalmente.

A operação conta com apoio da Guarda Municipal e do Corpo de Bombeiros, que enviou 17 viaturas, sendo quatro ambulâncias. Por motivos estratégicos, a polícia não informou o número de agentes envolvidos.

O trânsito no local sofreu mudanças por conta da reintegração. De acordo com o Centro de Operações da Prefeitura, a Estrada do Itararé está interditada na altura da Rua Paranhos e Largo do Itararé, assim como a Avenida Itaoca, nas proximidades da Estrada Adhemar Bebiano e da Rua Amaro Hamati.

Últimas de Rio De Janeiro