Tiroteio fecha estação do metrô e assusta moradores de Costa Barros

Pneus foram incendiados e um ônibus atravessado na Estrada de Botafogo. Polícia faz operações no Chapadão e na Pedreira

Por O Dia

Rio - A tarde de segunda-feira é de medo e apreensão para quem mora na região de Costa Barros, na Zona Norte da cidade. Com o intenso tiroteio, a estação de Rubens Paiva ficou fechada por cerca de 40 minutos. A Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) faz uma operação para cumprir mandados de prisão na Pedreira, enquanto policiais do 41º BPM (Irajá) estão na Favela do Chapadão. 

Pneus foram incendiados e um ônibus foi atravessado na Estrada de Botafogo%2C em Costa Barros%3Bestação do metrô foi fechadaDivulgação

Uma barricada com pneus incendiados foi colocada na Estrada de Botafogo e um ônibus da viação Flores foi atravessado pelos criminosos. Segundo relatos de moradores, bandidos circularam pela via armados de fuzis.

Policiais ocupam via as margens do metrô de Engenheiro Rubens Paiva%3B o corpo de uma pessoa é visto no localLeitor WhatsApp O DIA

Na Avenida Martin Luther King Júnior, a Polícia Militar fechou parte da via para evitar que pedestres e motoristas fossem vítimas de bala perdida. Alguns deles, assustados com o intenso tiroteio, voltaram na contramão pela principal via da região, que ficou completamente engarrafada.

A estação Rubens Paiva, que atende a linha 2 do metrô, ficou fechada para embarque cerca de 40 minutos.

Segundo informações, blindados e um helicóptero dão apoio às operações no complexo de favelas de Costa Barros.

Pelas redes sociais, os relatos são de tensão e medo pelos tiros durante as ações da polícia. O trânsito está congestionado na região da Pavuna e de Costa Barros.

Em um vídeo enviado para o WhatsApp do DIA (98762-8248), uma moto aborda um motorista que tentou escapar de uma barreira formada por criminosos. Ao fundo, várias rajadas de tiros são ouvidas. Imagens enviadas também mostram o corpo de uma pessoa na Avenida Pastor Martin Luther King, em frente a estação do metrô.

Clínica usada pelo tráfico estourada

?Segundo o 41º BPM (Irajá), uma clínica clandestina utilizada pelo tráfico foi estourada na Favela do Chapadão. Ela era usada para socorrer criminosos baleados durantes troca de tiros tanto com policiais quanto com traficantes rivais.

Um homem foi preso no local e também foram apreendidos dois mil medicamentos anestésicos, três mil seringas, 70 gases, uma maca, dois mil pares de luva, entre outros produtos.

Material apreendido em clínica clandestina usada para socorrer traficantesDivulgação


Últimas de Rio De Janeiro