Por bianca.lobianco
Publicado 24/12/2014 16:55 | Atualizado 24/12/2014 17:19

Rio - Cláudia Vidal da Silva, de 33 anos, a mulher que esqueceu o pequeno Grabriel Martins de Oliveira Alves, de 2 anos, trancado em um carro no caminho para creche, voltou atrás em seu depoimento e admitiu ter esquecido o menino no veículo para ir a um salão de beleza, no último dia 12. A informação foi veiculada no RJTV 1ª edição desta quarta-feira. Ela contou que quando saiu do salão encontrou a criança já desacordada dentro do carro, depois de passar cerca de duas horas trancado dentro de um gol preto em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. 

Gabriel Martins Alves de Oliveira%2C de 2 anos%2C morreu após ficar preso por 1h30 dentro de um carro em Vicente de CarvalhoReprodução Facebook

Em sua primeira versão, a mulher que fazia transporte clandestino afirmou que se sentiu mal e, por isso, encostou o veículo. Logo após parar, ela afirma ter desmaiado e que, ao acordar, viu que a criança estava tendo convulsão. A versão não foi aceita pela família do menino. Gabriel deveria sair de casa, em Jardim América, e ir para a Creche Escola Espaço Infantil, em Irajá, mas ficou preso no carro das 10h às 12h e morreu.

Delegado descarta prisão de mulher que esqueceu criança dentro de carro

Os pais do menino Gabriel não esconderam a revolta ao saberem que a mulher apontada por responsável pela sua morte ficará em liberdade. Gustavo Castro, delegado adjunto da 27ªDP (Vicente de Carvalho), explicou no dia 17 quais são as chances de Cláudia Vidal da Silva ser presa durante o processo.

"A possibilidade dela (Cláudia Vidal) ser presa só caso ela tente fugir, ameace outras testemunhas ou não compareça em juízo quando for intimada. Vou chamar a Cláudia para depor novamente, mas ainda não tem data marcada. Também chamei duas pessoas que ajudaram a Cláudia no socorro da criança", disse o delegado, afirmando que a mulher continuará respondendo por abandono de incapaz com resultado morte e exercício ilegal da profissão.

Segundo o delegado, a polícia tem em seu poder três vídeos que mostram o trajeto de Cláudia na manhã da última sexta-feira. Após pegar o pequeno Gabriel, em casa, no Jardim América, ela mudou a rota, deixando seu filho de nove anos em casa e depois seguiu para o salão de beleza. "Refizemos todo o trajeto que a Cláudia fez e ela mentiu em alguns pontos, principalmente na rua em que ela teria passado mal, ela não passou por aquela rua", garante o delegado.


Dona do salão depõe e afirma estar comovida

Uma das sócias do salão aonde Cláudia fez as unhas na manhã do dia 12, esquecendo o pequeno Gabriel dentro do carro, também depôs na delegacia. Ela explicou o motivo de ter várias ligações do salão no telefone da motorista na parte da tarde.

"Ela já tinha marcado com antecedência e ela já tinha marcado para fazer o tratamento para a colocação de unha postiça, que dura aproximadamente 1h30. Nesse dia ela tinha que voltar às 14h, mas não voltou. Por isso tinha várias ligações do salão no telefone dela", afirmou.

A empresária disse ter reparado que Cláudia estacionou o veículo distante do salão, mas que não dava para ver que tinha uma criança dentro do automóvel. "Eu vi que a Cláudia parou longe do salão. O vidro (do carro) era preto e não dava para ver se a criança estava dentro do carro. Eu fiquei muito comovida por ser mãe e não me imagino estar nessa situação", lamenta.


Você pode gostar