Pezão: bombeiros e policiais terão programa de moradia

Governador planeja a construção de conjuntos habitacionais próximo a quartéis

Por O Dia

Rio - Um programa especial de moradia para os 75.496 bombeiros, policiais civis e militares. Foi o que anunciou, nesta quinta-feira, o governador Luiz Fernando Pezão. Para isso, ele pretende reformular os quartéis e centros de treinamentos com sedes mais modernas, além de aproveitar áreas excedentes para a construção de conjuntos habitacionais. O Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), em Sulacap, na Zona Oeste, será um dos primeiros locais a receber as unidades. A previsão é de que as obras comecem ainda este ano.

No caso dos batalhões, além de construções dentro das unidades, há a possibilidade de o programa incluir terrenos no entorno. “Vamos fazer um grande programa para a Segurança Pública nos quartéis, com sedes mais modernas, com mais tecnologia. Eu lancei um desafio de liberarem áreas para fazermos apartamentos para o funcionalismo público, mas, principalmente, para a Polícia Militar, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros. Existem muitas áreas em que eu quero fazer moradias”, anunciou.

Formatura de policiais militares no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP)%3A um dos primeiros locais a receber unidadesSeverino Silva / Agência O Dia

A ideia do governador surgiu a pedido de policiais. O pagamento dos empreendimentos poderá ser feito em crédito consignado, com desconto em folha. “É uma demanda que eu ouvi muito nos últimos oito anos, quando nós entregávamos apartamentos no Alemão, em Manguinhos e na Rocinha, de policiais que estavam dentro das comunidades e pediam que existisse um programa de habitação para eles. Então, eu acho que a gente pode usar muitas áreas boas para fazer apartamentos. Vamos aquecer a economia e levar um bem a esses funcionários que dedicam sua vida ao estado”, justificou o governador.

‘Sempre vou trabalhar em parceria com as prefeituras’

Os municípios de Nova Iguaçu, Itaguaí e Araruama vão ganhar batalhões da Polícia Militar. O anúncio foi feito ontem pelo governador Luiz Fernando Pezão. Ano passado, o prefeito de Nova Iguaçu, Nelson Bornier, apresentou o pedido ao secretário José Mariano Beltrame, no bairro de Marapicu. Hoje, o município, com 800 mil habitantes, é atendido pelo 20º BPM (Mesquita).

“Estamos em busca de outras áreas. Sempre vou trabalhar em parceria com as prefeituras”, disse Pezão. Parceria, aliás, promete ser uma das marcas do governo. Quarta-feira, Pezão se reunirá, em Brasília, com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e outros governadores, como Geraldo Alckmin (São Paulo) e Fernando Pimentel (Minas Gerais). “Vamos fazer operações em conjunto por causa das fronteiras”, frisou.

Mudanças confirmadas nas UPPs

O governador Luiz Fernando Pezão disse que haverá reformulação nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). Ele admitiu que existem regiões com problemas — Manguinhos, Rocinha, Lins e Complexo do Alemão. “O Bope e o Choque estarão mais presentes”, prometeu. Nesta sexta-feira, às 10h, Pezão vai inaugurar a mini-UPP do Morro do Banco, no Itanhangá. “É um projeto novo do comandante da PM, coronel Pinheiro Neto. Amanhã (hoje), o José Mariano Beltrame e Pinheiro vão anunciar várias medidas”, avisou.

Para Pezão, o desafio das UPPs ainda é grande. “Houve avanços. Sem as UPPs os serviços não chegam, o professor não chega”, analisou o governador. Ele garantiu estar em contato com a promotora Glácia Santana, da 6ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Cidadania da Capital, do Ministério Público, que, com base em análise de 942 reclamações e entrevista a PMs, fez um diagnóstico dos principais problemas enfrentados pela tropa. Propôs um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) de quase R$ 400 milhões.

Parte dos valores seriam para a compra de equipamentos, como coletes à prova de bala. “Não é possível fazer tudo, mas as UPPs passarão a ter sede própria. Hoje, a maioria é em contêineres”, disse Pezão, que negou a falta de combustível para as viaturas da PM.

Últimas de Rio De Janeiro