'Demanda não está dando conta', diz Osório sobre transportes

Novo secretário confere modais e promete cobrar eficiência de concessionárias e agências

Por O Dia

Rio - O novo secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório dedicou o seu primeiro dia de gestão para conferir a quantas andam trem, metrô, barcas e ônibus, numa tentativa de tornar a “relação dos usuários com a secretaria mais humana”. Horas e muitas reclamações depois, ele prometeu cobrar mais eficiência das concessionárias e participação mais ampla das agências reguladoras.

“Os usuários reconhecem que estamos avançando, como por exemplo, trocando as frotas, mas a demanda não está dando conta. Precisamos investir para convencer a população a usar os transportes públicos”, alegou Osório.

Carlos Roberto Osório conversa com passageiro do trem da SuperVia no primeiro dia útil de sua gestão como secretário estadual de TransportesFernando Souza / Agência O Dia

Apesar de ontem ter sido um dia atípico, com volume de passageiros inferior ao normal, Osório contou que recebeu boas sugestões para a melhoria do setor. E definiu campos prioritários: infraestrutura e operação. “A infraestrutura já está em andamento, com a chegada de trens e barcas. Na operação, queremos garantir os resultados e a eficiência”, disse. Sobre o subsídio pago pelo governo às empresas de transporte, ele afirmou, conforme noticiou o colunista Fernando Molica, do DIA, que fará uma auditoria para saber quanto o estado está pagando além do necessário.

A viagem pelos modais começou às 5h53, quando o secretário embarcou num trem na Estação de Japeri com destino à Central do Brasil. Esse foi o modal que recebeu mais críticas. A maioria dos passageiros disse que após a mudança que tornou as linhas Santa Cruz e Japeri em expressas, o tempo de viagem aumentou. As queixas também foram quanto à falta de pontualidade, ao tempo de permanência das composições nas estações e à pouca oferta fora de dias úteis.

Clique na imagem para ampliar o infográficoArte%3A O Dia

“O novo sistema expresso não nos ajudou, os trens continuam cheios. Os trens ficam parados muito tempo entre as estações”, reclamou a doméstica Natalícia da Silva, 35, que embarcou na estação Engenheiro Pedreira.

O desarme de uma subestação da SuperVia afetou o funcionamento de um trem do ramal Santa Cruz, que trafegava próximo à estação São Cristóvão, às 17h20. Segundo a concessionária, a alta temperatura dos trilhos — 60ºC —, foi a causa do problema.

Na sequência, o secretário embarcou no Metrô e viajou entras as estações Central do Brasil e Carioca. Do assistente de RH Nelson Luiz Alves, 44, ele ouviu que a Linha 2 precisa de melhorias. “É o ramal que mais tem passageiros”. O final da viagem foi uma visita a Niterói de barca. O caminho de volta até o Centro do Rio foi em um ônibus intermunicipal, que, segundo os passageiros, deixa a desejar. “Os ônibus que saem de Niterói e vão para São Gonçalo são velhos, sem ar e caros”, avaliou a pedagoga Naiana Lafrafi, 55.

Tarifa da Linha Amarela tem reajuste e salta para R$ 5,90

O pedágio para os carros de passeio na Linha Amarela vai saltar dos atuais R$ 5,50 para R$ 5,90, a partir de meia-noite. Com 7,27% de aumento, a tarifa também valerá para caminhonetes e furgões de dois eixos com rodagem simples. 

De acordo com a concessionária Lamsa, que administra a Linha Amarela, o reajuste já estava previsto em contrato de concessão e termos aditivos. Todas as categorias de pedágio praticadas na via expressa sofreram variação de preço. Apesar de a Secretaria municipal de Transportes (SMTR) ter autorizado o reajuste a partir de hoje, a empresa decidiu adiar a atualização do valor por 24 horas. A resolução da SMTR foi publicada no Diário Oficial desta sexta.

Linha Amarela%3A pedágio aumenta e carro de passeio pagará R%24 5%2C90Uanderson Fernandes / Agência O Dia

MP-RJ investiga nova tarifa de ônibus municipal

O novo reajuste tarifário dos ônibus municipais, de R$ 3 para R$ 3,40 será alvo de inquérito do Ministério Público do Rio. Uma investigação será aberta na próxima segunda-feira pelo promotor Rodrigo Terra da Promotoria de Direito do Consumidor. O aumento passa a valer neste sábado.

De acordo com informações do “RJTV - 2ª Edição”, o motivo seria o fato de o aumento ser insconstitucional por incluir no cálculo valores adicionais ao reajuste previsto em contrato, como pagamento da instalação de ares-condicionados e de gratuidades.

Em nota, o secretário municipal de Transportes, Leonardo Picciani, disse que semana que vem divulgará resolução em que vai mostrar os critérios e os prazos usados no decreto do aumento. A alta da passagem foi anunciada no fim de dezembro e o reajuste ficou em 13,3%. Segundo a prefeitura, o valor seguiu fórmula de cálculo prevista em contrato e usa valores segundo fonte da Fundação Getúlio Vargas e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Nesta sexta, a CCR Barcas e SuperVia confirmaram o aumento das passagens para fevereiro. Os trens vão custar R$ 3,30, a partir do dia 2 de fevereiro; e as barcas, R$ 5, no dia 12. A CCR divulgará o aumento na próxima semana.

Obras do BRT interditarão Av. Brasil a partir do dia 10

Os motoristas e passageiros vão enfrentar mais trânsito na Avenida Brasil, a partir do dia 10. Duas faixas sentido Zona Oeste e meia faixa sentido Centro serão interditadas, no trecho de 350 metros entre Caju e Manguinhos, na altura do Canal do Cunha, até maio, por conta da implantação da primeira fase de obras da BRT Transbrasil. As faixas exclusivas para ônibus e táxis (seletivas) continuaram em funcionamento.

O diretor de Operações da CET-Rio, Joaquim Dinis, anunciou que os motoristas devem priorizar o transporte público ou optar por vias alternativas para a situação do trânsito na via não ficar ainda pior. “As alterações devem causar um impacto significativo. Recomendamos também à população que tem o costume de viajar na sexta-feira para evitar os horários entre 15h e 21h”, disse.

Dinis recomendou como rotas alternativas a Leopoldo Bulhões, a Avenida dos Democráticos e a Linha Vermelha, que deve receber a maior parte da migração do trânsito. São esperados também impactos grandes na Ponte Rio-Niterói (sentido Rio), na região da Rodoviária, Via Binário e Avenida Francisco Bicalho. As retenções também devem chegar a Irajá, Rodovia Dutra e Washington Luís, podendo irradiar, em certos horários, para a Avenida Presidente Vargas e para os túneis Santa Bárbara e Rebouças.

A previsão da secretaria municipal de Obras é que toda a Transbrasil seja entregue até o primeiro semestre de 2017. Nesta sexta, o secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, também garantiu para este ano cerca de 50% das viagens de ônibus com ar-condicionado. Para isso, as empresas de ônibus terão que entregar mais 1.500 veículos com ar.

Últimas de Rio De Janeiro