Testemunha diz que jovem morreu em assalto na Baixada

Policiais estão analisando imagens para ver se ajudam na identificação dos criminosos

Por O Dia

Rio - A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) analisa imagens de câmeras de segurança para tentar identificar o autor da morte de Tayenne Rodrigues Pereira de Abreu, 22 anos, na manhã de quinta-feira, em Belford Roxo, quando ela voltava do Revéillon em Copacabana. No início da tarde desta sexta-feira, o corpo da jovem foi enterrado no Cemitério Parque Jardim Mesquita. Ele pode ter sido vítima de latrocínio (roubo seguido de morte), segundo testemunha.

Tayenne Rodrigues Pereira Abreu%2C de 22 anos%2C foi morta nas primeiras horas de 2015 no Centro de Belford RoxoReprodução Facebook

“Começamos a analisar as imagens para ver se nos ajudam na identificação dos criminosos”, informou o delegado Wellington Vieira, que está à frente do caso. “Pedimos para que as pessoas que tenham informações dos envolvidos que liguem para gente ou para o Disque-Denúncia (2253-1177)”, ressaltou Vieira.

A pista mais próxima foi dada por uma testemunha que informou que ocupantes de um Gol pararam ao lado de Tayenne na esquina da rua Moacir Pereira Mattos Filho com a Avenida Joaquim da Costa Lima, que é perto da casa da vítima. Eles tentaram pegar a bolsa dela. Como a vítima teria se assustado, um dos ocupantes deu dois tiros contra o rosto da moça.

Além da testemunha que identificou o veículo, o delegado também já colheu depoimentos de familiares e amigos. “Estamos trabalhando com a hipótese de latrocínio, já que Tayenne teve o celular e a bolsa roubados”, informou Vieira. No velório de Tayenne, amigos e familiares estavam inconformados com o crime. “É difícil acreditar no que aconteceu. Estamos revoltados e esperamos que a justiça seja feita”, desabafa uma jovem que passou a virada com Tayenne.

Últimas de Rio De Janeiro