Funcionários públicos do Rio são autorizados a trabalhar de bermuda

Devido ao calor, servidores que trabalham ao ar livre poderão cumprir expediente com roupa mais despojada

Por O Dia

Rio - A partir desta segunda-feira, servidores públicos do estado do Rio foram autorizados a usar bermudas, calças e bermudões na altura do joelho devido ao calor do verão carioca. A permissão se estende a motoristas e cobradores de ônibus, vans e kombis credenciadas, bem como funcionários de pedágios e qualquer servidor que exerça trabalho ao ar livre. 

A lei nº 6945, decretada pela Assembleia Legislativa (Alerj) e sancionada pelo governador, Luiz Fernando Pezão, foi publicada nesta segunda no Diário Oficial do Estado. 

Projeto de lei que prevê uso de bermuda por motoristas de ônibus é aprovado

Os motoristas de ônibus do Rio podem comemorar: o projeto de lei 2075/2013, que prevê o uso de bermudas nos coletivos durante o verão, foi aprovado por unanimidade no início de dezembro de 2014, em segunda discussão, pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A medida depende ainda de sanção do governador Luiz Fernando Pezão para ser publicada no Diário Oficial.

Motorista bebe água para se refrescar do calor dos ‘quentões’Carlo Wrede / Agência O Dia

De autoria do deputado estadual Marcos Soares (PSD), o projeto garante o uso de bermudões por motoristas de ônibus, vans e por servidores públicos que trabalham ao ar livre. A justificativa é a saúde, diminuindo, assim, os riscos de doenças respiratórias. A proposta não contempla médicos e professores — com exceção dos de Educação Física —, que atuam dentro das unidades. Já os policiais militares que atuam nas praias, já usam uniforme especial no verão.

A ideia agradou aos motoristas de ônibus e vans, que, apesar de também terem a permissão — por decreto municipal — de usarem os bermudões no verão, ainda não adotaram a prática. O motivo seria pela falta de regulamentação das empresas que exploram o serviço.

O DIA já havia repercutido o projeto de lei, que estava no centro das discussões da categoria. Para o presidente do sindicato dos motoristas de ônibus, José Carlos Sacramento, 61 anos, a prática vai facilitar o trabalho dos condutores na estação mais quente do ano: “É um ‘calorão’ no verão e o motor esquenta ainda mais as nossas pernas. Tomara que o projeto seja aprovado”, disse ele, antes de saber da aprovação.

Últimas de Rio De Janeiro