Municípios do Rio entram em Estágio de Atenção

Há possibilidade de novas pancadas de chuva nas zona Norte e Oeste, São Gonçalo, Baixada Fluminense e Angra dos Reis

Por O Dia

Rio - A forte chuva que atingiu o Estado fez com que municípios do Rio entrassem em Estágio de Atenção na tarde desta segunda-feira. De acordo com o Centro de Operações Rio, há ocorrência de chuva forte nos limites da cidade - principalmente zonas Norte e Oeste, bem como nos limites com a Baixada Fluminense. Ruas de São Gonçalo ficaram alagadas e o nível dos rios em Petrópolis e Angra dos Reis ameaçaram subir. 

Seguidor de O DIA 24 horas registrou chuva em sua própria casa%2C em Nova IguaçuSeguidor O DIA 24 horas

Nos últimos minutos, os maiores acumulados de chuva muito forte na cidade foram em Campo Grande (14,4mm) e na Av. Brasil/Mendanha (7,6mm). Houve registro de chuva moderada em Piedade (3,2mm). Às 17h, houve registro de chuva muito forte em Campo Grande (14,2mm).

Outro seguidor de O DIA 24 Horas%2C Sergio Luiz (%40Sergio_LRS)%2C fez um registro na chuva na Estrada do Mendanha%2C na Z. OesteSeguidor %40Sergio_LRS

Na escala do Centro de Operações carioca, o Estágio de Atenção é o segundo nível de três e significa a possibilidade de chuva moderada, ocasionalmente forte, nas próximas horas, bem como ocorrências que impactam a operação da cidade em uma ou mais regiões.

Outros municípios também registram fortes chuvas

Também nesta segunda-feira à tarde, em São Gonçalo, a forte chuva provocou alagamentos em diversos pontos do município. Em vídeo (abaixo) enviado por leitor ao WhatsApp do DIA (98762-8248), é possível ver um veículo que tenta passar por uma das ruas do bairro do Gradim. Na imagem, a água chega a quase metade da roda do carro. 

O Estágio de Atenção estabelecido pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) às 16h10, indicava possível elevação dos rios na Baixada Fluminense, Petrópolis e São Gonçalo. O mesmo panorama foi divulgado para Angra dos Reis. 

Uma tromba d’água inundou vários bairros de Magé, na tarde de domingo, causando transtornos à população. “Foi uma chuva torrencial, mas rápida, o que não deveria ter afetado tanto a cidade, mas com bueiros entupidos pelo lixo e falta de manutenção, quase acabou em tragédia”, contou a jornalista Rosa Matuck sobre as chuvas na cidade.






Chuva prejudica também a circulação de trens

Em nota, a assessoria da SuperVia, concessionária responsável pela circulação ferroviária, informou que a condição climática reduziu a velocidade dos trens na Baixada Fluminense, aumentando o tempo para embarque e desembarque de passageiros. Isso, segundo a concessionária, pode alterar os tempos de viagens.





Últimas de Rio De Janeiro

Últimas de Rio De Janeiro