Defensoria inicia atendimento às vítimas de acidente em trem na segunda-feira

Órgão firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o governo estadual e a SuperVia para agilizar indenizações

Por O Dia

Rio - A partir desta segunda-feira, a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro dará início aos procedimentos para indenização das vítimas do acidente de trem, ocorrido na noite de segunda-feira, na estação de Presidente Juscelino, em Mesquita.

Polícia Civil ouvirá áudio de conversa entre operador e maquinistaOs assistidos devem ligar para o órgão (2868-2100, ramal 297) e agendar o atendimento na sede da Defensoria. A coordenadora do Núcleo de Defesa do Consumidor, defensora pública Patrícia Cardoso, lembra que as vítimas devem estar com o boletim de atendimento do hospital em mãos para informar os dados. 

A colisão entre os dois trens deixou 229 pessoas feridas na estação Presidente Juscelino, em MesquitaFoto de leitor via WhatsApp do Dia (98762-8248)

De acordo com a defensora, ainda serão recolhidos dados e documentos necessários para dar início ao procedimento de pagamento das indenizações como, por exemplo, recibo de medicação e declaração do empregador.

A medida da Defensoria tem como objetivo agilizar as indenizações das vítimas, evitando assim a abertura de uma ação coletiva. Na quarta-feira, 07, foi firmado o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre Defensoria, Governo do Estado e SuperVia para o procedimento de indenização .

Depoimentos de maquinista e operador são contraditórios 

O maquinista do trem que bateu em outra composição que estava parada na Estação Presidente Juscelino, em Mesquita, na noite de segunda-feira, e deixou 229 pessoas feridas, prestou depoimento nesta quinta-feira. Ele contou que atravessou o sinal vermelho com a autorização do controlador. No dia anterior, porém, o controlador prestou depoimento e alegou que o maquinista ultrapassou o sinal vermelho sem sua autorização. Por causa da divergência, o delegado que investiga o caso fez uma acareação nesta quinta-feira entre os dois, mas ambos mantiveram suas versões.

O delegado Matheus Almeida, titular da 53ª DP (Mesquita), contou que enviou um ofício à SuperVia para que a empresa informe se existe áudio gravado da conversa entre os dois. Caso haja, ele solicitará a gravação. No dia seguinte ao acidente, o presidente da concessionária, Carlos José Cunha, contou que os trens contam com uma espécie de caixa-preta.

Últimas de Rio De Janeiro