Calor provoca incêndio no Recreio dos Bandeirantes

Bombeiros de quatro quartéis foram mobilizados para debelar as chamas

Por O Dia

Rio - As altas temperaturas registradas nos últimos dias e a seca prolongada têm ocasionado focos de incêndios em matas do Rio. Ontem, no Recreio, por volta do meio-dia, o fogo em um terreno próximo à estação Notre Dame do BRT queimou toda a vegetação e mobilizou três quartéis dos bombeiros (Jacarepaguá, Alto da Boa Vista e Barra da Tijuca).

Um helicóptero foi acionado para ajudar a combater os focosPaulo Araújo / Agência O Dia


Durante a noite, os bombeiros continuaram na região, devido à complexidade do solo e para eliminar novos focos do incêndio.

O pintor Celso Rodrigues de Souza, 42 anos, que estava trabalhando em um condomínio próximo, disse que viu o fogo começar por volta das 13h. “Eu estava no meu trabalho e, do nada, apareceu a fumaça. Pensei que tivesse sido outro tipo de incêndio, em residência ou coisa assim, mas depois vi que era no matagal. Acho que foi por causa do tempo muito seco”, contou Souza, ao explicar que os bombeiros não demoraram para chegar, nenhum imóvel foi atingido e ninguém ficou ferido.

Outra funcionária de um condomínio próximo, a doméstica Maria da Penha, 58 anos, disse acreditar que os bombeiros podem ter enfrentado dificuldades para combater o fogo, por conta da falta d’água na região. “Estamos sem água há duas semanas. É sempre assim. É muita poeira dessas obras. Fica tudo preto. Tem que buscar água de longe, nós vamos comprando, porque não temos água para nada”, reclamou Penha.

Na Floresta da Tijuca, próximo à Estrada Grajaú-Jacarepaguá, outros pequenos incêndios foram percebidos. Oficialmente, o Corpo de Bombeiros registrou apenas mais um foco de fogo menor no bairro de Maria Paula, em Niterói.

Para evitar focos de incêndio, especialistas aconselham redobrar os cuidados ao apagar fogueiras em acampamentos, utilizando água, não jogar pontas de cigarro acesas próxima a qualquer tipo de vegetação e somente realizar queimadas com autorização do Ibama e de forma controlada, com cordões de isolamento.

Quem provocar queimadas desautorizadas está sujeito às penas previstas nos artigos 14 e 15 da Lei de Crimes Ambientais, que podem chegar a seis anos de prisão. Além disso, os culpados podem ser multados em valores que variam de R$ 50 a R$ 50 milhões.

Últimas de Rio De Janeiro