Motorista encara 'rali' em Mesquita

Moradores do município da Baixada sofrem com ruas esburacadas e sem infraestrutura

Por O Dia

Rio - Esburacadas e em péssimo estado de conservação. É assim que se encontram diversas ruas de Mesquita, na Baixada Fluminense. Emancipada de Nova Iguaçu desde 1999, a região ainda sofre com problemas de infraestrutura. Embora a prefeitura garanta que obras de revitalização tenham melhorado a vida população e que este ano já utilizou 100 toneladas de asfalto para tampar buracos de quatro ruas, moradores ainda reclamam.

No bairro Juscelino, a Rua Celestina é a mais crítica da região. Boa parte da via ainda é de paralelepípedo. Logo na entrada, uma placa alerta motoristas sobre os problemas no local. A cerca de 100 metros, um enorme buraco dificulta a passagem de carros. A rua, segundo moradores, deveria passar por obras de infraestrutura após a eleição do prefeito Gelsinho Guerreiro, que prometeu em campanha colocação de novo asfalto, sinalização e calçadas de meio-fio. Entretanto, dois anos depois, nada foi feito ainda.

Falta asfalto e sobram poeira e buracos no calçamento de paralelepípedo%2C na Rua Celestino%2C em MesquitaAlexandre Vieira / Agência O Dia

“Ele veio aqui e prometeu, mas não cumpriu. As pedras de paralelepípedo estão se soltando. O maior problema é que há muitos caminhões pesados com muita carga extra e esburacam ainda mais o que já era crítico”, reclamou o pintor de automotivo, Valmir Andrade da Costa, de 51 anos.

Ao longo da extensa Rua Celso Peçanha, em Banco de Areia, lombadas e alguns buracos obrigam motoristas a redobrarem a atenção. “O carro passa balançando, pois a rua não é lisa. Longe disto. Está com lombadas que podem até causar acidente. É um trecho perigoso”, avisou o motorista Bruno Garcia, de 32 anos. No acesso à Via Light pelo bairro de Rocha Sobrinho, mais problemas. Em alguns trechos recapeados, o asfalto começou a ceder.

De acordo com o secretário de Urbanismo, Obras e Serviços Públicos de Mesquita, Ricardo Augusto, a Rua Celestina e mais oito ruas do bairro serão revitalizados pelo programa estadual ‘Bairro Novo’. As obras devem começar em pouco mais de dois meses e terminar em 120 dias. “Só no ano passado pavimentamos 69 ruas e este ano pretendemos mais 78. Utilizamos, em 2014, 4 mil toneladas de asfalto para tampar buracos de 247 ruas”, assegurou Ricardo. Segundo ele, 88% da cidade está pavimentada e a meta é atingir 94% neste ano.

Últimas de Rio De Janeiro