Caminhão bate em ponte da SuperVia na Avenida Francisco Bicalho

Trens precisaram circular com restrições de velocidade até às 14h30, informou a empresa

Por O Dia

Rio - Um caminhão colidiu, na tarde deste domingo, com a estrutura da ponte ferroviária da SuperVia sobre a Avenida Francisco Bicalho. Os trens precisaram circular com restrição de velocidade das 12h55 às 14h30, quando foi finalizada a vistoria da equipe técnica da concessionária.

A empresa informou que vai registrar "novo boletim de ocorrência e acionará a Prefeitura para providências em relação ao desrespeito às leis de trânsito no local".

Na noite da última quinta-feira, um caminhão de coleta de lixo abalroou parte da estrutura de sustentação do viaduto. Por conta do acidente, o tráfego de trens teve que ser interrompido das 19h às 20h30 em duas das 4 linhas que cruzam a ponte, prejudicando passageiros dos ramais de Deodoro, Santa Cruz e Japeri. Reparos emergenciais permitiram a retomada do tráfego pelas duas linhas afetadas ainda na noite do acidente.

Na sexta-feira, para manter o sistema operando integralmente a SuperVia teve que reduzir a velocidade dos trens no trecho da ponte, o que gerou espera por ordem de circulação em algumas composições. Em novembro, também um veículo abalroou uma viga de sustentação da ponte, impondo a interrupção do tráfego em duas da 4 linhas que cruzam o viaduto. O reparo emergencial pelo acidente da última quinta-feira está sob monitoramento e a área técnica da empresa avalia a necessidade de novas intervenções no trecho afetado A SuperVia vai aguardar a conclusão das investigações de todos os casos para pedir a reparação cabível.

Outro incidente em estação

Uma pedra colocada no aparelho que faz os desvios das composições da SuperVia, próximo a estação Benjamin do Monte, causou atrasos nos trens do ramal Santa Cruz. Segundo a empresa, alguém que ainda não foi identificado colocou esta pedra no aparelho chamado travessão e, por isso, as composições precisaram esperar ordem de circulação. O problema afetou o ramal nos dois sentidos, mas a situação já foi normalizada.


Últimas de Rio De Janeiro