Por thiago.antunes

Rio - Prefeito de Duque de Caxias, Alexandre Cardoso prevê que municípios do estado terão muita dificuldade para conceder aumentos salariais este ano. Isto, pela redução dos royalties gerada pela queda do preço do petróleo e por conta da diminuição da arrecadação de ICMS — 25% do total do imposto são repassados para as prefeituras.

Segundo ele, a redução no ICMS deverá chegar a 15% e também está relacionada a problemas com empresas que atuam na cadeia de produção e distribuição de petróleo.

Acima do teto

De acordo com Cardoso, mesmo sem reajustes salariais, a queda nas receitas deverá dificultar o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal, que prevê teto de 51,3% dos gastos com funcionalismo.

Alívio

Ele afirma, porém, que, por conta de outras receitas, a situação de Caixas não é tão grave assim.

Exonerados

Por pressão do Ministério Público, a Câmara de Queimados teve que exonerar seus 90 funcionários comissionados. O número era mais do que oito vezes superior ao de concursados, que são apenas 11. O MP ameaçara processar a Câmara.

Dureza na blitz

Por medida de economia, as operações de fiscalização da Lei Seca têm operado com um carro a menos — agora são apenas dois veículos que prestam assistência aos fiscais. A medida não afeta as viaturas da PM que participam das blitzes.

A tal da Cide

A Cide, imposto sobre combustíveis ressuscitado pelo governo, foi tema de uma pegadinha aplicada por Garotinho em Lula, na campanha presidencial de 2002. Num debate, o petista demonstrou que desconhecia o tema.

Você pode gostar