Homem faz mulher refém em restaurante na Zona Sul do Rio

Sequestrador se entregou após policiais do Bope chegarem ao local para negociar a rendição

Por O Dia

Rio - Policiais do 23º BPM (Leblon) e da Unidade de Intervenção Tática (UIT) do Bope libertaram no fim da noite deste sábado uma refém em um restaurante na Lagoa, Zona Sul da cidade. A operadora de caixa Luciana Souza, de 21 anos, ficou em poder do cozinheiro Francisco de Assis Alves de Lima, de 35 anos, que manteve duas facas apontadas para a vítima.

Ambos eram funcionários do restaurante Ki, localizado na rua Fonte da Saudade, nº 179. Segundo o dono do estabelecimento, identificado apenas como Laver, Francisco chegou ao local antes da abertura para clientes, quando só havia funcionários. Ele portava uma garrafa de cerveja e aparetenava estar alcoolizado. Alegando desrespeito com seus direitos trabalhistas, o homem sacou as facas, utilizadas para preparo de sushi, e ameaçou as pessoas. Todos teriam conseguido correr menos Luciana, que foi mantida com uma das facas apontada para um dos rins e a outra no pescoço.

Facas usadas por homem para fazer mulher refém em restauranteDivulgação

A vítima não acreditou quando o homem fez as primeiras ameaças. "Eu pensei que ele estava brincando, porque ele não é assim. Ele falava com todos e era uma pessoa tranquila. Só percebi que era sério quando vi as facas. Foi quando notei que o rosto dele estava mudado".

Por meio de ligação para o 190, a Polícia Militar chegou ao local. O sargento do 23º BPM Sandro Neto foi quem iniciou o contato com Francisco, já com Luciana mantida refém no segundo andar do restaurante, onde fica a mesa de som. O sequestrador chegou a pedir que um amigo fosse chamado para participar da negociação. O Bope foi acionado em seguida e o sub comandante da unidade, major Luciano Pedro, foi quem negociou a rendição do cozinheiro. O homem entregou as duas facas e chegou a se cortar enquanto tinha poder sobre a vítima. A jovem não se feriu.

Toda a ação envolveu cerca de 20 policiais, entre militares do 23º BPM e UIT do Bope. A rua do restaurante chegou a ser fechada. Antes de se entregar a polícia, Francisco chorou e pediu desculpa ao dono do estabelecimento e a vítima. O caso foi registrado na 14ª DP (Leblon).

Últimas de Rio De Janeiro