Passista da Beija-Flor é torturado e morto por traficantes em Nilópolis

Vídeo com integrante da escola sendo torturado por traficantes circula na Internet. Divisão de Homicídios da Baixada investiga

Por O Dia

Rainha de bateria da Beija-Flor%2C Raíssa postou foto em rede social lamentando morteReprodução Facebook

Rio - A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) está ouvindo testemunhas e familiares do passista da escola de samba Beija-Flor, Cláudio da Silva, o Piu. O rapaz foi morto após ser torturado por traficantes supostamente do Morro da Mina, em Nilópolis. O vídeo com a agressão circulou pela internet, e o crime causou revolta nos amigos e parentes do passista, muito querido pela comunidade local.

“Sem palavras, só queria meu tio de volta. Ele não merecia, vai deixar muita saudade”, desabafou uma sobrinha de Piu nas redes sociais. “Antes disso tudo acontecer, ele estava tão alegre. (...) minha avó pediu tanto para ele não sair de casa, ele foi e aconteceu isso”, ressaltou a jovem. Na rede social, várias mensagens de solidariedade à família e pedidos de justiça para o caso foram postados. Conhecido também como Sarita e Lacraia, a vítima morava no Parque Esperança, em Anchieta.

A polícia ainda não sabe as circunstâncias do assassinato e um inquérito foi instaurado para apurar a morte. Pelas redes sociais e no vídeo, Piu é chamado de X-9 (um apelido dado a delator). Ainda segundo postagens nas páginas de comunidades de Nilópolis, pessoas que conheciam a vítima relataram que ele teria ido ao Morro da Mina a pedido de policiais. O corpo do passista foi localizado por parentes no Instituto Médico-Legal de Duque de Caxias e estaria desfigurado, mas a polícia não confirmou.

Piu estava desaparecido desde a última quinta-feira, quando faltou ao ensaio na quadra da agremiação, em Nilópolis. Segundo amigos, ele nunca faltava aos eventos e era tido como um dos componentes mais alegres da escola. Parentes estranharam o sumiço e começaram a procurá-lo. No entanto, só após a divulgação do vídeo, tiveram a certeza de que Piu não estava mais vivo.

Neste domingo, a assessoria de imprensa da Beija-Flor negou que a agremiação estivesse programando alguma homenagem ao passista no desfile da escola, segunda-feira de Carnaval. À noite, a Beija-Flor fez seu ensaio técnico na Sapucaí, mas integrantes evitaram falar sobre o crime.

Através de sua contra no Facebook, a rainha de bateria da escola lamentou a morte de Piu, um dos apelidos pelo qual Cláudio era conhecido. "Infelizmente tivemos a triste notícia do Cláudio, uma pessoa super prestativa, alegre, animado, um ser humano que só queria saber de sambar, pois o samba era sua maior paixão. Meus Sentimentos aos familiares! Descanse em Paz! Piu, Bororeti, Lacraia, Luma e Ruím-ssa e brilhe aí no céu!."

Crime chocou amigos da vítimaReprodução Internet


Últimas de Rio De Janeiro