Por paloma.savedra
Rio - O ex-policial militar William de Paula, acusado de matar o menino João Roberto Amorim Soares, de apenas 8 anos, em 2008, será julgado nesta quinta-feira no 2º Tribunal do Júri do Rio. O novo julgamento foi pedido pelo Ministério Público do Rio, que recorreu da decisão que absolveu o ex-PM do crime de homicídio doloso, por quatro votos a três, em audiência realizada em 10 de dezembro de 2008.
Ex-PM William de Paula disparou 17 vezes contra o carro da mãe de João Roberto%2C durante perseguição na Tijuca%2C matando o garotoArquivo / Agência O Dia

Junto com o também ex-PM Elias Gonçalves a Costa - que foi absolvido do crime - William foi acusado por ter disparado 17 vezes contra o carro da mãe de João Roberto, durante perseguição na Tijuca, na Zona Norte do Rio, matando a criança. O menino também estava com o irmão dentro do veículo. 

O MP questiona a decisão dos jurados que absolveram William do crime de homicídio. Ele foi condenado por lesão corporal. Segundo o MP, a decisão contraria a prova pericial que apontou o erro de William e do ex-PM Elias Gonçalves ao confundirem o carro de Alessandra Soares, mãe de João Roberto, com bandidos que estavam em fuga pelo bairro. 

Lembre o caso

O menino João Roberto foi baleado no dia 6 de julho de 2008, na Rua General Espírito Santo Cardoso, na Tijuca. William de Paula foi condenado por lesão corporal contra a mãe e o irmão do menino a sete meses em regime aberto.

Morto em 2008%2C o menino João Roberto Amorim Soares tinha apenas três anosUanderson Fernandes / Agência O Dia

A pena foi convertida para prestação de serviços comunitários por um ano. Já Elias Gonçalves foi absolvido pelo Tribunal do Júri, após ter declarado que só deu um tiro para o alto e que o colega é quem teria atirado no carro. Após o crime, os dois foram expulsos pela Polícia Militar.