Por paloma.savedra

Rio - O governo do estado não descarta adotar a dessalinização da água do mar como medida para solucionar a crise hídrica no Rio. Segundo o governador Luiz Fernando Pezão, no dia 10 de fevereiro, ele se reunirá com técnicos da Espanha e de Israel, que já utilizam água do Mar Mediterrâneo para abastecimento. 

A declaração foi dada pelo governador Luiz Fernando Pezão, na manhã desta sexta-feira, em cerimônia de formatura de mais 398 policiais militares. De acordo com ele, esta é uma provável medida para suprir a falta de água no Rio. Além disso, o governador voltou a afirmar que não haverá cobrança de sobretaxas, nem racionamento. 

Em Fernando de Noronha, uma usina abastece os 2.600 moradores do arquipélago com água do marHaroldo Palo / Agência O Dia

"O pedido foi feito por mim e pela presidenta Dilma. Vamos receber, nos próximos dias, técnicos de Israel e da Espanha, que irão nos apresentar propostas e trabalhos relativos à dessalinização", declarou Pezão, confirmando que seu governo já estuda medidas alternativas para o abastecimento no estado. 

Água do mar pode ser solução contra crise hídrica

A crise hídrica que tem afetado a população no Rio foi provocada pela estiagem da bacia do Rio Paraíba do Sul. Dos quatro reservatórios que abastecem o Rio de Janeiro, os de Paraibuna (SP) e Santa Branca (SP) operam no volume morto. As usinas de Funil (RJ) e Jaguari (SP) têm pouco volume útil de água – 3,95% e 1,79% respectivamente. Todos os reservatórios que abastecem o estado funcionam dentro de hidrelétricas.

Uso de água do mar já é medida utilizada em Fernando de Noronha

O uso da água do mar já é uma medida utilizada pelo Brasil em pequena escala. Desde 2011, uma usina abastece os 2.600 moradores do arquipélago de Fernando de Noronha com água do mar. Também há projetos em andamento em nove estados, como Ceará, Pernambuco e Bahia.

O método vem crescendo rapidamente e já há cerca de 15 mil usinas instaladas em mais de 25 países, especialmente no Oriente Médio, como o Catar. Somente nos últimos 30 anos, a produção de água dessalinizada passou de oito para 60 milhões de metros cúbicos por dia. Estados Unidos, Espanha e China também utilizam a técnica.

Porém, o país que mais investe nessa modalidade de uso da água é Israel que, em 2010, inaugurou a maior usina do mundo, localizada na cidade de Hadera. Apenas com sua produção é possível abastecer um sexto da população. “Uma megausina de dessalinização trará uma era de água abundante e acessível para o mundo”, disse à época Avshalom Felber, diretor da IDE Technologies, empresa responsável pela construção da usina.

Você pode gostar