Direção nacional do PT teve papel decisivo na reaproximação entre partidos

O lançamento, pelos petistas, de candidato ao governo levou parte do PMDB a apoiar Aécio Neves e dificultou a campanha de Dilma Rousseff

Por O Dia

Rio - A direção nacional do PT teve papel decisivo na reaproximação, no Rio, entre petistas e peemedebistas. Presidente do partido, Rui Falcão deixou claro que, em 2018, quando Lula tentar voltar à Presidência, não poderá ser repetida a experiência de 2014. O lançamento, pelos petistas, de candidato ao governo levou parte do PMDB a apoiar Aécio Neves e dificultou a campanha de Dilma Rousseff .

Washington Quaquá, presidente do PT-RJ, já até admite a participação futura do partido no governo do peemedebista Pezão.

'Sinergia'

Até dezembro, Quaquá defendia que o PT deveria ficar bem longe dos antigos aliados. Agora, diz que, inicialmente, os contatos devem priorizar a “busca de uma sinergia” com Eduardo Paes. Depois é que poderia ocorrer uma “consolidação” do projeto com Pezão.

Tudo combinado

Por falar em Paes. O prefeito afirma que a decisão de lançar a pré-candidatura de Pedro Paulo Carvalho à prefeitura não gerou problema com Jorge Picciani, presidente do PMDB-RJ, que quer a vaga para o filho Leonardo. Diz que tudo foi pactuado e que o partido seguirá unido.

Indicações forçadas

Irritação na Alerj. Deputados que assumiram secretarias no governo Pezão têm feito pressão para que seus protegidos ganhem cargos nos gabinetes dos suplentes.

Últimas de Rio De Janeiro