Agente da Lei Seca morre em acidente de carro em Bento Ribeiro, Zona Norte

Motorista colidiu com poste após acumular mais 10h de trabalho

Por O Dia

Renato de Souza%2C 34 anos%2C morreu após cumprir mais 10 horas de expediente a serviço do Detranarquivo pessoal

Rio - Depois de trabalhar mais de dez horas acumuladas em atividades na sede do Detran e na Operação Lei Seca, o funcionário Renato de Souza, de 34 anos, morreu na madrugada desta terça-feira, após colidir contra árvore com o carro do órgão, em Bento Ribeiro, na Zona Norte do Rio.

O agente dirigia o veículo do Detran na volta para casa, por volta das 3h, depois de deixar quatro colegas da operação em suas residências, em Santa Teresa, Vila Isabel, Del Castilho e Cascadura. Ele voltaria a trabalhar ao meio-dia desta terça-feira, já que em seu setor não há folga para funcionários que trabalham na Lei Seca.

De acordo com o Detran, Renato trabalhou no órgão de 8h ao meio-dia e retornou às 20h para atuar por mais seis horas na Lei Seca. O agente desempenhava a função de motorista da operação e, no prédio, exercia atividades administrativas no setor de leilões. Para o diretor do Sindicato dos Funcionários do Detran (Sindetran), Mauro Pauxis, o cansaço de Renato pode ter corroborado para o acidente.

Já a presidente do Sindetran, Maria da Penha Afonso Machado, defende que o correto seria dar uma folga para cada noite trabalhada na Lei Seca. “A exaustão tem sido a realidade de muitos funcionários. São muitas horas de trabalho e desvios de função. Pelo que eu sei, os funcionários trabalham o expediente e depois trabalham na Lei Seca”, disse. Segundo o órgão, eles atuam na fiscalização por seis horas, mas nenhum deles atua todos os dias, sendo escalados de acordo com a liberação da chefia imediata. O Detran acrescentou que foram respeitadas todas as normas da legislação.

Ainda de acordo com o órgão, o trabalho como agente da Lei Seca é voluntário, ou seja, o funcionário se oferece para trabalhar nessas operações”. Por noite, na Lei Seca, os agentes ganham R$ 100. Os que atuam a mais de 50 quilômetros do local de trabalho recebem R$ 220.

Técnico que trabalhava no setor de leilões do Detran bateu contra uma árvore quando cumpria a função de motoristaWhatsApp O DIA (98762-8248)

A Polícia Civil informou que a 30ª DP (Marechal Hermes) investiga as causas do acidente e familiares da vítima serão chamados para prestar depoimento. Agentes também realizarão diligências em busca de imagens de câmeras de segurança da localidade em que houve o acidente. A delegacia aguarda também o laudo da necropsia com a causa da morte. O corpo de Renato será velado hoje no cemitério de Mesquita, na Baixada Fluminense.

Segundo o Código de Trânsito, no artigo 310, permitir, confiar ou entregar a direção de veículo automotor a pessoa que, por seu estado de saúde, física ou mental, ou por embriaguez, não esteja em condições de conduzí-lo com segurança, pode gerar detenção de seis meses a um ano.

Últimas de Rio De Janeiro