Apreensão de armas e drogas em janeiro sobe em relação a 2014

Número de fuzis apreendidos é mais que o dobro comparando com o mesmo mês do ano passado; quantidade de cocaína sobe de 56 kg para 1 tonelada

Por O Dia

Rio - O número de armas apreendidas pela PM em operações em todo o estado em janeiro aumentou, em comparação com o mesmo período de 2014. Segundo a Coordenadoria de Inteligência (CI) da PM, a apreensão de fuzis mais que dobrou, passando de 20 para 41. E o número de pistolas apreendidas saltou de 173 para 253, o que representa aumento de 46,24%.

Segundo a PM, a Coordenadoria de Inteligência (CI) da corporação realizou um estudo comparativo entre os meses de janeiro de 2014 e 2015, com base nos números de apreensões de armas e drogas, prisões e apreensões de menores em todo o estado pela Polícia Militar. E, além do número de armas, a quantidade de granadas e artefatos explosivos apreendidos aumentou de 59 para 69. Apenas a apreensão de revólveres apreendidos caiu de 279 para 194: redução de 30,47%.

Ainda de acordo com a PM, entre as apreensões de drogas no estado, a cocaína ganha destaque: a quantidade da droga retirada de circulação pela PM subiu de 56 kg para 1,1 tonelada, representando um aumento de quase 2.000%. As apreensões de maconha subiram de 2,1 para 2,4 toneladas, um aumento de 12,37%. Já as apreensões de crack tiveram um aumento de 214%, passando de 4,2 para 13,3 kg.

Sobe o número de prisões e apreensões de menores

A Coordenadoria de Inteligência afirma ainda que o número de prisões feitas pela PM subiu de 1.387 em janeiro do ano passado para 1.892 esse ano - representando aumento de 36,41%. O cumprimento de mandados de prisão também aumnetou: de 69 para 121, um crescimento de 75,36%. Já o número de menores apreendidos subiu de 487 para 641, um aumento de 31,62%.

Para o comandante-geral da PM, coronel Pinheiro Neto, os resultados operacionais do primeiro mês de comando refletem as ações de reestruturação do Comando de Operações Especiais (COE) e a integração com os demais Comandos de Policiamento de Área (CPAs). “Vamos manter as operações em larga escala em todo o estado, a partir das informações do setor de Inteligência e sempre com ações planejadas e integradas”. 

Últimas de Rio De Janeiro