Por paulo.lima

Rio - Depois de dois anos de obras, a Praça da Bandeira foi reinaugurada na manhã deste sábado, pelo prefeito Eduardo Paes e secretários municipais. O local, que sofreu durante anos com enchentes especialmente durante o verão, agora conta com área de lazer, anfiteatro e rinque de patinação, além de um reservatório para amenizar 18 milhões de litros d'água.

Segundo o prefeito, o risco de alagamentos ainda existe, mas é menor do que em outras épocas. "Prefiro dizer que ainda tem risco de enchente. Vou esperar as outras obras serem concluídas, até 2016. A situação com certeza é melhor do que no ano passado", afirmou.

Prefeito Eduardo Paes participou de reinauguração da Praça da Bandeira e garantiu que situação é melhor que ano passadoCarlo Wrede / Agência O Dia

Atualmente, a região da Tijuca ainda aguarda a construção dos reservatórios nas praças Varnhagen e Niterói, além do desvio do Rio Joana, projetos que irão, argumenta a prefeitura, acabar com o risco de enchentes. Segundo o secretário de Recursos Hídricos Pierre Batista, o custo total das obras gira em torno de R$ 400 milhões.

No momento em que todo o estado atravessa crise por conta da escassez de água, Batista informou que ainda não há projeto para reaproveitar a água nos piscinões. "Primeiro tem que ver a qualidade da água que vai estar ali".

Paes acrescentou que irá pedir para Rio Águas fazer um estudo de viabilidade do reaproveitamento da água. Durante a solenidade, o morador Marco Paulo Paes exibiu cartaz pedindo a instalação de grades de segurança para garantir a brincadeira de crianças, já que a praça fica entre duas vias expressas. "Sempre que tem um acidente, o carro vem aqui no meio da praça".

Você pode gostar