Por felipe.martins

Rio - Para reforçar as contas do Rioprevidência e garantir o pagamento de aposentados e pensionistas, o governo estadual foi buscar R$ 450 milhões de uma espécie de volume morto do Banerj. O dinheiro estava na chamada ‘Conta B’, criada para garantir pagamentos de dívidas, principalmente trabalhistas, do antigo Banco do Estado do Rio de Janeiro. O deputado estadual Luiz Paulo da Rocha (PSDB) descobriu que, no dia 18 de dezembro, o então ministro da Fazenda, Guido Mantega, autorizou o saque dos recursos.

Menos royalties

A maior parte dos recursos do Rioprevidência vem dos royalties do petróleo, que estão em queda. Em 2014, esta transferência caiu R$ 2,1 bilhões em relação ao previsto.</CW>

O passado preocupa

A ida de Henrique Alves, ex-presidente da Câmara dos Deputados, para o Ministério do Turismo não está ameaçada pela Operação Lava Jato, mas por um escândalo que estourou em 2011. Indicado por Alves para ocupar a secretaria-executiva do mesmo ministério, Frederico da Costa chegou a ser preso na Operação Voucher, que apurou uso irregular de verbas.

Acabou o papel

Até o fim do ano, o Tribunal de Contas do Estado quer acabar com processos em papel. Nos últimos dias, o TCE recebeu, por via eletrônica, sete editais de concorrência e pregão.

Você pode gostar