Por karilayn.areias

Rio - É tão bonito a gente ver uma pessoa despida de preconceitos, não é verdade? Porque ter um pré-conceito a respeito de alguém, por julgar pela aparência ou comportamento, é reduzir o indivíduo na sua dignidade humana, justamente por desprezar, nessa tendenciosa avaliação que se faz, o que o define: sua história de vida.

Muitos de nós não nos abrimos ainda a vencer os próprios preconceitos para conseguirmos uma evangelização eficaz... Dizemos constantemente que queremos ser como Jesus, especialmente na caridade, mas parece que ainda não enxergamos e nem entendemos suas atitudes... Ele sempre foi o mesmo com todos! Aquele que andava por entre os doentes e pobres. Mas também entre os adúlteros, os prostituídos, os ladrões, os apegados aos bens materiais... Ora, Ele mesmo dizia: “Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores.” (Mt 9, 13b)!

Costumamos lembrar que Jesus ressuscitou mortos, mas não que ressuscitou vivos. Isso mesmo! Ele estava sempre entre aqueles que mais necessitavam da misericórdia e da graça de Deus, para ajudá-los a sair da situação de pecado — que é a grande morte — e oferecer vida em abundância (Jo 10,10). Por isso, precisamos aprender a agir da mesma maneira, acolhendo a todos.

Estar entre irmãos em situações diferentes das que costumamos chamar de ‘normais’ não significa ter que agir como eles. Mas sim testemunhar com a própria vida o amor de Deus, buscando entender e auxiliar a todos nas suas necessidades, como o próprio Cristo fazia. Nosso papel não é julgar e nem condenar ou manter distância de quem quer que seja. Eu e você somos o rosto de Jesus para aqueles que estão perto de nós! “Com todos, eu me fiz tudo, para certamente salvar alguns. Por causa do evangelho, eu faço tudo, para ter parte nele”. (I Cor 9, 22-23)

O testemunho, feito de atitudes concretas e coerentes, aproxima mais as pessoas de Deus do que as palavras. Então, eu quero acolher para levar a Deus! Por isso, peço ao Senhor a graça de rejeitar qualquer preconceito. E você? ‘Tamu junto’!

Padre Omar é o Reitor do Santuário do Cristo Redentor do Corcovado. Faça perguntas ao Padre Omar pelo e-mail [email protected] Acesse também www.padreomar.com e www.facebook.com/padreomarraposo

Você pode gostar