Justiça mantém prisão preventiva de acusados do assassinato de Tayenne

Jovem foi morta depois de ter sido assaltada por trio, na madrugada do dia 1º de janeiro, em Belford Roxo

Por O Dia

Rio - A Justiça do Rio manteve a prisão preventiva dos dois acusados de assassinarem a jovem Tayenne Rodrigues Pereira de Abreu, de 22 anos, no dia 1º de janeiro. A decisão da 2ª Vara Criminal de Belford Roxo considera que a manutenção da medida é necessária para a garantia da paz e tranquilidades sociais. Durante as investigações, foram encontrados com os réus armamentos, munições, além de objetos que supostamente pertenciam à Tayenne.

Márcio Rocha da Silva e Carlos Henrique da Silva foram presos acusados da morte de Tayenne Rodrigues%2C na madrugada do Réveillon%2C em Belford RoxoAlexandre Vieira / Agência O Dia

Ainda de acordo com o Ministério Público, que ofereceu a denúncia, o crime teria um terceiro participante. Segundo o delegado da Divisão de Homicídios (DH), Wellington Vieira, a dupla, ao lado de uma terceira pessoa que está foragida, assassinou a jovem, depois de ela ter sido roubada.

Polícia apresenta suspeitos da morte de jovem na madrugada do Réveillon

Tayenne, que voltava do Réveillon de Copacabana para a Baixada Fluminense, também se negou a entrar no carro dos criminosos. O delegado acredita ainda que Tayenne tenha sido violentada. Márcio Rocha da Silva e Carlos Henrique da Silva foram presos acusados da morte de Tayenne Rodrigues, na madrugada do Réveillon, em Belford Roxo. 

"Acredito que eles tenham saído para roubar e que eles acabaram matando a Tayenne, porque ela reagiu não querendo entrar no carro. Suspeito que eles queriam estuprá-la", disse o delegado, na época. 

Tayenne comemorava a chegada de 2015 poucas horas antes de morrerReprodução Instragram

Câmeras ajudaram a identificar os criminosos

De acordo com as investigações, Tayenne foi abordada pelo trio, num Gol Branco, nas proximidades da Favela do Castelar, no Centro de Belford Roxo, Baixada Fluminense. Após reagir à tentativa de assalto, foi assassinada com um tiro. O telefone celular e a bolsa da vítima foram levados pelos criminosos. Segundo o delegado, o trio foi identificado após a polícia analisar quatro câmeras de segurança próximas de onde Tayenne foi assassinada. Eles conseguiram ver um Gol branco com um teto preto e o pessoal que estava abordando a jovem. Durante a investigação, foi descoberto que o carro pertencia uma mulher que é mãe de criação do Márcio.

Últimas de Rio De Janeiro