Por nicolas.satriano

Rio - No Morro Jorge Turco, em Rocha Miranda, Zona Norte do Rio, quem dita as ordens é, na verdade, o 'braço esquerdo' do chefe. Apontado pela polícia como atual gerente do tráfico de drogas na comunidade, invadida pela facção Amigos dos Amigos (ADA), Wellington do Nascimento Ribeiro, 26, o WL, foi flagrado no último fim de semana ao lado de outros comparsas armados. Mas, além dos fuzis, o que mais chama atenção nas imagens é a deficiência física do criminoso, que não possui o braço direito.

Atingido por um tiro de fuzil durante uma guerra entre facções, WL perdeu o membro, mas não a vontade de continuar no crime. Nas imagens, que teriam sido feitas no sábado e repassadas a agentes da 40ª DP (Honório Gurgel), WL, todo de azul, aparece com um fuzil, cercado por pelo menos outros quatro criminosos, que também portam armas de longo alcance. Os comparsas aproveitam o momento de descanso para almoçar.

WL%2C de camisa e boné azuis%2C no canto direito%2C é apontado pela polícia como gerente do tráfico no Morro do Jorge Tuco Divulgação

Com um dos suspeitos é possível identificar um saco preto, onde estariam armazenadas drogas, uma vez que, segundo investigações, no ponto ocorre venda de entorpecentes. Em outra imagem, WL aparece sentado na laje, segurando um fuzil e observando o movimento na entrada da comunidade.

Em meio aos nove suspeitos, a polícia identificou ainda outros dois bandidos. Piolho, esse sim, um dos braços direito de Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, aparece sentado, com uma camisa azul listrada, e segurando um prato de comida. O outro é o vulgo 'Bogo', que surge em duas ocasiões: ao lado esquerdo de WL, em uma foto mais ampla, e de costas com outro traficante, que aponta um fuzil na saída de um beco.

WL (na foto) teria perdido o braço durante uma guerra entre facções%2C segundo informações da políciaDivulgação

As imagens foram inseridas em um inquérito que apura o tráfico nas comunidades da Proença Rosa, Mundial e Jorge Turco, todas na área da 40ª DP. Os três serão indiciados por tráfico, associação para o tráfico e uso de arma restrita.

Mudança de lado

Apesar da confiança, nem sempre Wellington esteve junto ao ADA. Após se desentender com os líderes do Comando Vermelho (C.V), que dominavam o Jorge Turco até o início de janeiro, quando houve a invasão, ele buscou refúgio no território de Playboy. Mas o bandido acabou se unindo diretamente a Carlos José da Silva Fernandes, o Arafat, chefe na comunidade Final Feliz, que também fica no Complexo da Pedreira.

Justamente por conhecer bem a região, o criminoso, mesmo sem o braço, participou diretamente da invasão e agora repassa as ordens de Arafat na comunidade. Ele já havia sido preso, em 2007, mas foi solto após cumprir pena por tráfico e associação.

Ainda segundo as investigações da polícia, Playboy, o bandido mais procurado do Rio, teria fornecido apenas a 'estrutura' (homens e armas) para a invasão.

Você pode gostar