Por nicolas.satriano

Rio - As secretarias de Obras e de Saúde foram as mais prejudicadas por uma espécie de freada de arrumação aplicada pela prefeitura no orçamento deste ano. Segundo levantamento da vereadora Teresa Bergher, foram remanejados R$ 638 milhões — Obras perdeu R$ 83 milhões; Saúde, R$ 60 milhões.

Diante da expectativa de crise, o governo reforçou sua poupança e mandou R$ 196 milhões para a reserva de contingência. A Secretaria de Concessões ganhou R$ 72 milhões: R$ 54 milhões para o VLT (bonde) do Centro.

Médicos sem salários
Médicos e outros funcionários do Hospital Getúlio Vargas estão com salários atrasados porque o governo estadual não efetuou o repasse para a Pró-Saúde, organização que administra a unidade. A Secretaria de Saúde admitiu atrasos nos pagamentos para outras organizações sociais. Disse que tudo começou a ser regularizado nesta segunda-feira. 

Estratégia
A nomeação, por Eduardo Paes, do deputado Sergio Zveiter (PSD) para a Secretaria de Coordenação de Governo não passou de um arranjo. Celso Jacob, suplente de Zveiter, é do PMDB e, ao assumir o mandato, habilitou-se a votar, nesta quarta-feira, em Leonardo Picciani para líder do partido na Câmara dos Deputados.

Rei do Interior
Ex-prefeito de Valença, Vicente Guedes assumirá a Subsecretaria Estadual do Interior. Caberá a ele negociar com os políticos do interior e administrar o programa Somando Forças.

Comunista na avenida
Em novembro de 1946, num desfile extra, todas as escolas de samba homenagearam Luiz Carlos Prestes. O tributo, contam Fábio Fabato e Luiz Antonio Simas no livro ‘Pra tudo começar na quinta-feira’, foi organizado por um jornal comunista.

Você pode gostar