Polícia abre inquérito para apurar a morte de operador da CET-Rio

David atendia a ocorrência de colisão envolvendo o coletivo na Avenida Presidente Vargas, no Centro, quando foi atingido

Por O Dia

Imagem tirada por agente horas antes de ser atropelado e morto por motorista de ônibus no Centro do RioDivulgação / CET-Rio

Rio - Depois de liberar o motorista de ônibus que atropelou e matou o controlador de trânsito da CET-Rio David Bezerra da Silva, 33 anos, na noite de terça-feira, a Polícia Civil abriu inquérito de homicídio para apurar o caso. David atendia a ocorrência de colisão envolvendo o coletivo na Avenida Presidente Vargas, no Centro, quando Leandro Rodrigues da Silva tentou fugir do local e o atingiu.

A vítima morreu na madrugada desta quarta-feira no centro cirúrgico do Hospital Municipal Souza Aguiar. Segundo a Rio Ônibus, a empresa Paranapuan afastou o motorista Leandro, que fazia a linha Castelo-Bananal, de suas funções.

De acordo com o delegado Cláudio Vieira, da 4ª DP (Praça da República), Leandro foi ouvido, mas será chamado novamente para prestar depoimento. Policiais fizeram perícia no veículo e imagens das câmeras do ônibus estão sendo analisadas.

O diretor de operações da CET-Rio, Joaquim Dinis, pediu apuração para saber se o crime foi intencional. Segundo ele, um pedestre quase foi atingido pelo ônibus também e teria testemunhado na delegacia. “Queremos ajudar a polícia com as informações, apoiar a família e resguardar nossos agentes. O David estava feliz na terça-feira porque era o primeiro dia de aula do filho de 3 anos na escola”, contou. David será enterrado hoje e amigos planejam passeata.

Dinis disse ainda que no local há uma câmera da companhia de trânsito, mas ela não filmou o acidente porque estava posicionada para outra direção.

Principal testemunha do atropelamento, o controlador de tráfego Michael da Silva Lima, 25, disse que Leandro teve a intenção de atingi-los. “O David apenas pediu para ele retirar o ônibus da rua e houve a discussão. O motorista, muito irritado, entrou e jogou o veículo em cima das duas motos. Foi intencional, ele atingiu as pernas dele. Depois ficou se justificando, dizendo que o David não tinha saído da frente. Quero que a Justiça seja feita. Ele matou o meu amigo”, afirmou.

De acordo com amigos da vítima, o ônibus envolvido no atropelamento passou por reparos ao chegar na garagem da empresa. A Paranapuan explicou que o reparo foi feito no lado do oposto ao que atingiu o controlador.

Em nota, a Secretaria Municipal de Transportes lamentou a morte de David e notificou o consórcio Internorte a apresentar em 48h as imagens do veículo. Já a Rio Ônibus informou que a Paranapuan vai prestar assistência à família da vítima. O motorista afastado trabalha há seis meses na Paranapuan, que não tem registros de acidentes ligados ao funcionário. No entanto, há informações de que Leandro estaria envolvido num acidente ocorrido na Tijuca há um ano.

Últimas de Rio De Janeiro