Operação captura 19 acusados de violência sexual e doméstica

Voz da Liberdade, manobra da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher, atuou em diversas regiões do Rio

Por O Dia

Rio - Dezenove acusados de violência doméstica e sexual foram presos nesta quinta-feira na operação Voz da Liberdade, desencadeada pela Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher (DPAM), em diversas regiões do Rio. Entre os suspeitos capturados estão um pai que estuprou a filha de 11 anos e mais duas meninas, além de um pastor evangélico foragido da Justiça.

De acordo com a Polícia Civil, o religioso Ronaldo Santana Mendes, 46, foi preso em Caxias após descumprir medidas protetivas que o impediam de se aproximar da ex-mulher. Evangélico muito influente e empresário em Xerém, distrito daquele município, Ronaldo estava foragido desde a expedição do mandado, em setembro do ano passado. De acordo com a delegada Débora Ferreira Rodrigues ele tentou matar a vítima.

Doze Delegacias de Mulheres cumpriram vários mandados de prisãoPaulo Araújo / Agência O Dia

“O pastor ameaçava a esposa constantemente e o juiz pediu o afastamento dele do lar e que mantivesse distância dela. Como a lei foi descumprida, o juiz decretou a prisão preventiva”, explicou a delegada. “Na decisão judicial consta ainda que ele responde por tentativa de homicídio ocorrido na Argentina, além da ameaça registrada delegacia”, completou a titular.

Outra prisão em Caxias foi a de um pai acusado de estuprar a filha, de 11 anos, a enteada, 13, e a prima de sua ex-mulher, de 10 anos. Os policiais chegaram até ele depois que a filha teve doença transmitida sexualmente. “A menina ficou internada por sete dias, com o risco de morrer. Os médicos chamaram os pais e a criança confessou que o pai abusava dela quando a mãe saía para trabalhar”, relatou a delegada.

Os agentes também cumpriram mandado de busca e apreensão na casa de um homem, em São Gonçalo, acusado pela ex-mulher de ameaça. No imóvel foram encontrados uma escopeta, duas pistolas e munição.

A ação, que é realizada simultaneamente por todas as doze Delegacias de Atendimento à Mulher (DEAM) do estado, durou duas semanas e terminou ontem. Dos 19 presos, sete foram apresentados ontem na Cidade da Polícia. A diretora do departamento, Márcia Noeli, disse que a ação tem por objetivo a conscientização da não violência contra a mulher, especialmente no Carnaval.

Últimas de Rio De Janeiro