Pezão quer usina para dessalinização da água do mar como resposta à crise

Governo estadual encomendou projeto a um grupo espanhol com o objetivo de abastecer um milhão de pessoas no Rio

Por O Dia

Rio - A solução para a crise hídrica que bate às portas do Rio pode vir do mar. O governador Luiz Fernando Pezão encomendou a um grupo espanhol um projeto de uma usina de dessalinização com capacidade para fornecer água para, pelo menos, um milhão de pessoas. A previsão é de que, em 15 dias, já será possível saber o custo da empreitada, que seria construída na Zona Oeste por meio de Parceria Público-Privada.

“Queremos que a usina seja uma ferramenta estratégica. Os governos precisam se modernizar em relação ao uso da água. Não podemos depender somente dos atuais recursos hídricos”, observou Pezão ontem, durante cerimônia relacionada à Olimpíada de 2016.

Com o caixa do estado em dificuldades, o que fez o governador determinar um corte de 35% das despesas das secretarias, a saída para um investimento na tecnologia de dessalinização seria uma parceria com a empresa.

Usina de dessalinização de água do mar da empresa espanhola contactada%2C em operação na AustráliaDivulgação

“ Estou avaliando a possibilidade de uma PPP. Desta forma, teremos um fundo garantidor, o que nos dará tranquilidade para realizar esse investimento”, adiantou Pezão. A empresa espanhola Sacyr, responsável pelo projeto, atua em 25 países

Com mais de 1 milhão de habitantes e historicamente carente de fornecimento regular de água, São Gonçalo,ganharia a segunda usina de dessalinização do estado, caso o projeto seja aprovado.

Sobre a crise hídrica, Pezão afirmou que o estado está preparado: “Fizemos grandes investimentos desde 2009 para atravessar período de seca. Recuperamos toda a Estação do Guandu, fizemos novas captações e reservatórios de água”.

Nesta quinta-feira, a Cedae lançou uma campanha para conscientizar a população sobre o uso racional da água. “Se continuar esta estiagem, vamos tomar mais medidas preventivas. A gente acha que atravessa 2015 bem”, disse Pezão.

R$ 1 ,2 bi para a Baía de Guanabara

Durante o evento, no Comitê Organizador Local dos Jogos Rio-2016, Pezão disse que a despoluição da Baía de Guanabara está avançando: “O legado já temos. Saímos de 17% para 49% de tratamento. Estamos colocando R$ 1,2 bilhão em investimentos em saneamento na baía. E quero lançar no primeiro semestre uma PPP de tratamento de esgoto da Baixada e de São Gonçalo”.

Pezão falou sobre outros legados que serão deixados após os Jogos Olímpicos, ao se referir à despoluição das lagoas da Barra e de Jacarepaguá: “Já temos dinheiro para começar as obras. Quero começar a dragagem. Tem uma série de outros legados que ficarão para sempre. Da segurança à mobilidade”.

O governador também disse no evento que o Maracanã poderá passar por uma nova licitação: “Em mais uns 20 a 30 dias, vamos tomar a decisão. A procuradoria está estudando o caso. Vou ter o resultado desta análise logo depois do Carnaval. Quero ter conforto Jurídico para a licitação”.

Últimas de Rio De Janeiro