Vítimas de acidente com ônibus podem levar 30 dias para serem identificadas

IML de Niterói já recolheu material genético dos nove corpos para a realização dos exames de DNA

Por O Dia

Rio - O Instituto Médico Legal (IML) de Niterói, na Região Metropolitana, já recolheu o material genético das vítimas do acidente do ônibus que na manhã de quarta-feira matou nove pessoas no bairro Santa Catarina, em São Gonçalo, para a realização do exame de DNA. No entanto, devido o estado dos corpos, os laudos periciais têm previsão de 15 a 30 dias para ficarem prontos.

GALERIA: Ônibus bate em poste e deixa várias pessoas mortas em São Gonçalo

Por volta das 5h30 de quarta, o ônibus da linha 532 (Niterói - Alcântara), da Viação Mauá, trafegava pela Rua Doutor Getúlio Vargas quando bateu em um poste e um transformador caiu sobre o veículo, iniciando um incêndio. Nove pessoas morreram carbonizadas, entre elas uma criança que estava abraçada à mãe, e outras oito ficaram feridas.

Funcionários da prefeitura fizeram recapeamento do asfalto e funcionários de empresa telefônica trocando cabos de posteFabio Gonçalves / Agência O Dia

Segundo sobreviventes e testemunhas, as chamas se espalharam em menos de um minuto. O limpador de carros William Lemos da Silva, de 35 anos, estava na parte de trás do carro e contou que quebrou uma janela para se salvar. “Quebrei o vidro do ônibus com os braços, junto com outro rapaz, e pulei. O outro homem pulou, um fio de alta tensão o atingiu e ele morreu eletrocutado”.

LEIA MAIS: Tragédia com ônibus é reprise de pesadelo

De acordo com o frentista Joel Guimarães, que trabalhava em frente ao local, choveu muito na noite da última terça-feira e faltou luz no bairro. Um caminhão da concessionária Ampla estava parado na via para fazer reparos na rede elétrica. Um ônibus cortou o caminhão, invadiu a pista na contramão e o condutor do coletivo perdeu o controle ao tentar desviar e acertou o poste. “Estava todo mundo gritando lá dentro. Socorremos três pessoas, inclusive um homem que gritava: ‘por favor, socorre minha filha e a minha mulher’”, disse.

Parentes de vítimas foram até a delegacia nesta quinta-feiraFabio Gonçalves / Agência O Dia

O homem a quem Joel se referiu é Geovane Farias, 20, que foi levado para o Hospital estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, em estado grave. Leandro Fagundes da Silva, 35, e Anderson Morle, 26, também estão internados na unidade, porém estáveis. William e José Soares Ferreira foram atendidos no hospital e liberados com escoriações nos braços.

LEIA MAIS: Sobrevivente de acidente de ônibus relata momentos de pânico

O motorista Waldiney Rangel de Oliveira e o trocador Ângelo Gomes da Silva, ambos de 51, estão internados em estado grave na UTI da Clínica São José dos Lírios. Uma adolescente de 17 anos, que passava no momento do acidente foi encaminhada para outra unidade de saúde, em estado de choque.

Câmeras de outro ônibus podem ajudar a desvendar acidente

As imagens de um outro ônibus que passava próximo do coletivo da linha 532 podem ajudar a desvendar o que aconteceu antes da colisão na Rua Doutor Getúlio Vargas. Por determinação do Detro, a empresa vai disponibilizar as imagens para a Polícia Civil, que investiga o caso. De acordo com a Secretaria Estadual de Transportes, a câmera e o tacógrafo do ônibus acidentado foram destruídos pelo incêndio.

Ainda segundo a secretaria, o motorista do ônibus é um profissional experiente e trabalhava há 15 anos na Viação Mauá. As vistorias e a manutenção do veículo estavam em dia. O Detro aguarda as investigações da polícia para, se for o caso, punir a empresa.

Últimas de Rio De Janeiro