Cães são encaixotados e mantidos em condições degradantes em Teresópolis

Mulher mantém 55 animais dentro de caixas em sítio, cachorros ficam sem água e comem as próprias fezes

Por O Dia

Rio - Há mais de uma semana, as imagens de um homem espancando as cadelas da ex-namorada chocaram o Rio e defensores da causa animal. Agora, uma nova cena de crueldade e maus-tratos a cachorros mobiliza moradores de Teresópolis: em um sítio na localidade Sebastiana, 55 cães são mantidos por uma mulher dentro de caixas e gaiolas, onde comem as próprias fezes e pelancas de boi dadas por ela. Os animais ficam sem água e têm ainda machucados por todo o corpo. 

Cães ficam encaixotados em condições degradantes: sem água, eles chegam a comer as próprias fezes e pelancas dadas por mulher que mantém os bichos no localReprodução

Marcelo Oliveira e sua mulher, Fernanda Maia, que é voluntária na defesa de animais, foram ao local no dia 17 e constataram aquilo que não acreditavam. A cena degradante os levou a procurar a Polícia Militar e a Polícia Civil. O caso foi registrado na 110ª DP (Teresópolis) e eles buscam agora ajuda do Ministério Público, para que o órgão ajuize ação na Justiça e, assim, eles consigam resgatar os animais. 

"Vi um cão com metade do rosto dilacerado e cheio de bichos. Outros dois com a pata quebrada. Ela só alimenta os animais duas vezes por semana, com pelancas de boi. E por causa das condições a que são submetidos, alguns animais morreram. Na delegacia, a mulher disse que as gaiolas eram como um canil improvisado, e que em breve seriam remanejados para um local melhor", disse Fernanda. 

"A mulher alugou o sítio há quase um ano. Todos os vizinhos estão horrorizados e denunciaram o caso. Não acreditava no que eu ouvia antes de ir lá. Eram cenas dantescas e um odor insuportável", relatou Marcelo. Ele conta que foi ao local no dia 17 (terça-feira de Carnaval) depois de sua mulher receber diversas denúncias de maus-tratos.

"A inquilina estava lá e alegou que cuida dos cães. Diz que os resgatou e por isso eles ficam lá. Mas na verdade eles são maltratados. Estão cheios de marca pelo corpo, sujos, o odor é fortíssimo ali, e eles comem as próprias fezes. Eu não sei o que leva uma pessoa a fazer uma coisa dessas. É maldade. É muita doença", disse Marcelo, que, em seguida, procurou a Polícia Civil. 

Agentes da 110ª DP (Teresópolis) fizeram perícia na Quarta-feira de Cinzas (18), na presença da inquilina. Ela prestou depoimento e voltou a afirmar que resgatou os cães e que não os maltrata. A 110ª DP (Teresópolis) investiga o crime de maus-tratos e já ouviu testemunhas, assim como a autora. O caso será encaminhado ao Juizado Especial Criminal.

Segundo os moradores, a mulher já foi interpelada outras vezes, quando sempre respondia que era "advogada e viúva de general", e que qualquer pessoa que tentasse entrar no local seria presa por invasão de propriedade. 

"Estamos procurando o MP para agilizar logo a solução desse caso e tirar os animais dali, porque eles estão morrendo", completou Marcelo. 


Últimas de Rio De Janeiro