Comércio se adapta para evitar desperdício de água

Restaurante racha entre funcionários dinheiro economizado na conta de água. Outro usa bica que reduz gasto

Por O Dia

Funcionários do Irajá Gastrô economizam água ao regar plantas para ganhar bônus Fernando Souza / Agência O Dia

Rio - Bares e restaurantes do Rio ainda não chegaram a substituir a louça por utensílios de isopor ou plástico, como vêm fazendo os estabelecimentos paulistas, mas já incorporaram práticas para evitar a seca nas torneiras. Por aqui, empresários criaram campanhas e estratégias de sobrevivência no negócio para enfrentar a pior estiagem das últimas oito décadas. Para todos eles, a palavra de ordem é evitar ao máximo o desperdício de água. 

O Restaurante Irajá Gastrô, em Botafogo, criou um programa de bonificação para estimular a economia nas bicas entre os funcionários. “São cuidados básicos como ocorre em qualquer casa, tipo fechar a torneira e usar regador para molhar as plantas de jardim no lugar de mangueira. O valor que eles conseguirem diminuir na conta, de um mês para o outro, será revertido para eles”, explica a gerente-geral do estabelecimento, Julieta Carrizzo.

A rede de cozinha mediterrânea Ráscal faz uso de redutores nas torneiras e, em dias de faxina, usa panos úmidos, esponja e detergente para limpar paredes e equipamentos que não estejam engordurados.
No bar Aconchego Carioca, na Praça da Bandeira, uma das donas, Rosa Angeli Gonçalves Ledo, conta que a casa importou torneiras que consomem 30% menos água. As toalhinhas das mesas também foram trocadas por outras de papel e o salão passou a ser lavado uma vez por semana com o auxílio de baldes. “Não dá mais para funcionário usar mangueira para limpar a calçada. Este ano não vai ser fácil”, preocupa-se a empresária.

Para o Sindicato de Bares, Hotéis e Restaurantes do Rio (SindRio) a crise hídrica deve servir de alerta para todos.

“A seca impacta diretamente no negócio. Sem água, não se pode abrir a casa e receber hóspedes”, diz Fernando Blower, vice-presidente de Meios de Hospedagem do SindRio. O sindicato recomenda a adoção de algumas medidas, tais como a revisão no encanamento para verificar possíveis vazamentos, criação de um sistema de captação da água da chuva e uso de redutores de vazão. “A cidade tem que continuar funcionando. As Olimpíadas estão aí. Todo mundo tem que fazer a sua parte”, diz Blower.

Conscientização para garantir economia

Mais do que comprar equipamentos econômicos ou fazer reformas, donos de estabelecimentos procuram educar os empregados para mudanças simples. “Orientamos a equipe a ensaboar e só depois enxaguar toda a louça”, conta a chef Carol Caldas, do Santa Satisfação. No restaurante japonês Minimok, as torneiras possuem temporizadores nos banheiros e na cozinha. “Todos os nossos funcionários têm essa consciência”, diz o sócio Eduardo Preciado.

Dicas simples para preservar

Mantenha a torneira fechada. Lavar a louça por 15 minutos com a torneira meio aberta consome 120 litros de água. Ao executar a tarefa sem desperdício, o consumo é de 20 litros.

Evite a perda de água consertando vazamentos no banheiro, no ar-condicionado e na cozinha.

Adote descargas econômicas no banheiro. Uma descarga de água chega a utilizar 20 litros em um único aperto, ou seja, utilize apenas o necessário. Além disso, não use o vaso sanitário para dispensar objetos, como papéis, absorventes ou pontas de cigarro.

Antes de lavar os pratos e panelas, jogue o resto de comida no lixo. Deixe a louça de molho na pia, com água e detergente, por uns minutos e ensaboe. Repita o processo e enxágue.

Use regador para molhar as plantas no lugar de mangueira. No verão a rega das plantas deve ser feita pela manhã ou à noite. Isso reduz a perda de água por evaporação.

Últimas de Rio De Janeiro