Jovens morrem baleados após troca de tiros no Complexo do Alemão

PMs patrulhavam região quando encontraram com suspeitos armados

Por O Dia

Rio - Moradores do Complexo do Alemão viveram nesta terça-feira mais uma dia de tiroteios e tensão, que terminou com a morte de dois homens.

Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), por volta das 16h, policiais da UPP Nova Brasília encontraram bandidos armados na Praça do Terço, na localidade da Divinéia. Houve confronto, e Paulo Philipp Alves Silva, de 23 anos, e Victor Ribeiro Macedo, de 19, foram baleados. Eles acabaram levados à UPA do Alemão, mas, segundo a unidade, chegaram mortos.

Mais cedo, por volta das 8h, o teleférico do Alemão teve o funcionamento suspenso, devido à intensa troca de tiros na região. Segundo a CPP, homens da UPP Fazendinha foram foram recebidos a tiros por criminosos na localidade conhecida como Inferno Verde. Não houve registro de feridos. A Supervia, concessionária que administra o teleférico, informou que ele foi reaberto por volta das 9h40.

Na ação da tarde, foram apreendidas duas pistolas calibre 9mm, além de drogas. O policiamento foi reforçado com o efetivo de outras UPPs da região, do 16º BPM (Olaria), do 22º BPM (Maré) e do Comando de Operações Especiais (COE).

No último sábado, três policiais da UPP Alemão foram baleados enquanto faziam patrulhamento. Eles foram atacados a tiros por volta das 22h30, quando chegavam ao Morro da Chatuba. Os militares foram atendidos no Hospital Getúlio Vargas e liberados. Nenhum criminoso foi preso.

UPP na Maré em julho

Horas depois de moradores fecharem a Linha Amarela em uma manifestação contra a atuação do Exército no Complexo da Maré — o que gerou um confronto na madrugada —, o governador Luiz Fernando Pezão anunciou que dois mil policiais militares vão substituir a Força de Pacificação no complexo até o fim de junho.

A instalação da UPP da Maré já foi adiada três vezes e o governo conseguiu o aval do Ministério da Justiça para estender a presença das tropas federais até meados deste ano.

“A Maré é nossa próxima entrada com as UPPs. Existe um calendário que traçamos com o governo federal. Estamos aumentando o efetivo da Polícia Militar no complexo e já enviamos cerca de 200 homens”, disse Pezão.


Últimas de Rio De Janeiro