Pezão garante que Exército ficará no Complexo da Maré até o final de junho

Governador participou na manhã desta terça-feira, num hotel da Zona Sul, da abertura da 8ª visita da Comissão do COI

Por O Dia

Rio - O governador Luiz Fernando Pezão reafirmou na manhã desta terça-feira que a Força de Pacificação ficará no Complexo da Maré até o final de junho, para a entrada da Polícia Militar na comunidade. O Exército está na comunidade da Zona Norte há quase um ano e, neste período, já foi adiada diversas vezes a retirada dos militares da região.

"Não tem mais como adiar (a saída da Força de Pacificação da Maré). O Exército tem que estar na fronteira e a PM vai entrar na Maré no final de junho. Hoje vou conversar com o comandante do Exército e com o Beltrame (secretário de Segurança) para que a gente possa ver como vai ser feita essa transição", disse o governador, durante a abertura da 8ª visita da Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico Internacional (COI), num hotel em Copacabana.

No final da tarde de segunda-feira, moradores da Maré realizaram um protesto, fechando a Linha Amarela, contra os últimos episódios de violência ocorridos na comunidade. Mais cedo, um adolescente havia sido ferido de raspão durante um tiroteio. E no último sábado, uma van com cinco passageiros foi alvejada após o motorista não parar em uma blitz do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE). Pezão disse que apoia a manifestação feita pela população da Maré.

"É valida a manifestação, desde que não feche toda a via e que ocupe algumas faixas. O que não pode é fechar toda a via", afirma.

Sobre as Olimpíadas de 2016, o governador, que participou do evento ao lado do prefeito Eduardo Paes e do presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, se mostrou animado com o andamento das obras, mesmo reconhecendo que pode haver atraso na entrega de alguns projetos. "As obras estão em andamento e serão entregues no prazo. Se atrasar vai ser pouco, mas não vai interferir nos Jogos", finaliza.

Últimas de Rio De Janeiro