Por adriano.araujo
Responsável por apavorar o Rio em 2004%2C traficante foi encontrado com uma bíblia nas mãosDivulgação

Rio - Preso na madrugada da última quarta-feira em Cabo Frio, na Região dos Lagos, Patrick Salgado Souza Martins, o Patrick do Vidigal, ex-chefe do tráfico e um dos líderes da maior facção criminosa do Rio, não tinha mandado de prisão expedido pela Justiça em aberto. A informação foi dada nesta sexta-feira pelo Tribunal de Justiça do Rio. Um alvará de soltura foi expedido ontem pela Vara de Execuções Penais (VEP) e ele foi solto hoje, de acordo com a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap). 

De acordo com o TJ, o mandado de prisão que manteve preso Patrick por dois dias foi expedido em 2004 e já havia sido cumprido. Ainda segundo o órgão, o VEP informou na época à Polinter da extinção do mandado, mas ele não teria sido retirado do sistema. A Polícia Civil informou que apenas foi cumprido o mandado de prisão que constava no sistema da Polinter e que não foi comunicada do expiramento do mesmo.

Patrick do Vidigal, foi preso por policiais da 25º BPM (Cabo Frio) que desconfiaram de ocupantes de um Honda Fit em atitude suspeita. Na abordagem, outra ocupante do carro, uma advogada, estava com a quantia de R$ 25 mil em espécie. Eles foram encaminhados para a 126ª DP (Cabo Frio). Na distrital, foi constatado que contra Patrick do Vidigal havia um mandado de prisão em aberto.

Histórico de terror

O traficante Patrick do Vidigal foi responsável por um dos terríveis episódios de violência no Rio de Janeiro. Ele foi um dos responsáveis pela tentativa de invasão à Favela do Vidigal, na Zona Sul do Rio, em 2004. A comunidade viveu dias de uma guerra sangrenta que apavorou os endinheirados moradores de São Conrado, bairro de classe alta do Rio. O bando comandado por Patrick tentava chegar à vizinha Rocinha, usando o Vidigal como rota. A maior favela da Zona Sul era dominada pelo bando de Eduíno Eustáquio de Araújo, o Dudu da Rocinha.

Em plena Semana Santa, cerca de 60 criminosos da quadrilha de Patrick, armados com fuzis e granadas aterrorizaram quem passava pela Avenida Niemeyer. Era mais uma tentativa de chegar à Rocinha, objetivo alcançado na Sexta-Feira da Paixão. A guerra entre as duas facções deixou pelo menos dois policiais do Bope e quatro moradores da cidade sem nenhuma relação com o crime mortos.

Patrick do Vidigal quando foi preso pela segunda vez%2C em 2000Divulgação / Arquivo Agência O Dia

Patrick foi preso pela primeira vez em maio de 1996, dentro do Morro do Vidigal. Ganhou a liberdade em 2000 e, saindo do Complexo do Alemão, foi perseguido e preso por agentes da Polinter. Ele voltou às ruas em 17 de julho do ano seguinte. Mas, em dezembro do mesmo ano, foi preso novamente na comunidade.

Condenado por homicídio e tráfico de drogas, ele passou boa parte do tempo trancado nas celas do Complexo de Gericinó, em Bangu. Em 2010, ele foi transferido com outros traficantes para o Presídio Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Você pode gostar