Por nicolas.satriano

A Polícia Civil apreendeu as armas dos militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do São João que participaram do tiroteio no qual morreram Eduardo Felipe Dias dos Santos, de 14 anos, e Francisco Clemio de Melo, de 28, quarta-feira — os dois, segundo os PMs, teriam envolvimento com o tráfico local.

O caso no morro do Engenho Novo provocou a onda de violência na noite de anteontem no bairro e no vizinho Sampaio, com um ônibus incendiado e o saque da loja da Casa & Vídeo, invadida por cerca de 100 pessoas.

Policiamento foi reforçado ontem na Av. 24 de Maio e nos arredoresSeverino Silva / Agência O Dia

Nesta quinta-feira, o clima ainda era tenso na comunidade. Na véspera, perto dali, na Avenida 24 de Maio, coletivo da linha 627 (Inhaúma-Sans Peña) foi queimado, e o comércio, fechado na Rua Barão do Bom Retiro, próximo à subida da Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá. Esta via expressa, aliás, foi fechada nesta quinta-feira, às 18h, devido a um confronto entre PMs e traficantes, e só foi reaberta após as 20h.

Na 25ª DP (Engenho Novo), testemunhas da confusão de quarta-feira prestaram depoimentos. Laudos periciais, além de imagens de câmeras, vão ajudar os investigadores a identificar os suspeitos de incendiar o ônibus e saquear a loja. Duas pessoas também ficaram feridas no confronto armado e estão sendo aguardadas para prestar depoimentos.

Passageiros apavorados

Jurandir da Costa Miranda e Marcelo dos Santos Moreira foram autuados em flagrante por furto ao serem surpreendidos levando produtos eletrônicos da loja. Segundo um segurança do estabelecimento, que pediu anonimato, todos os celulares expostos em vitrines foram levados, além de outros equipamentos eletrônicos, como televisores, aparelhos de som, notebooks e tablets.

Procurada, a Casa & Vídeo não informou o montante do prejuízo, mas esclareceu que está colaborando com as investigações policiais. Antes do ataque à loja, os suspeitos fecharam a 24 de Maio, altura do número 823, e, com cobertura de pelo menos dois homens armados de fuzis, roubaram os passageiros do ônibus, antes de queimá-lo. Testemunhas contaram que houve pânico entre os passageiros no momento de sair do coletivo, que já pegava fogo. Ninguém se feriu.

Você pode gostar