MP quer suspensão das torcidas Força Jovem e Young Flu por um ano

Ministério Público pede que seja cobrado multa de R$ 20 mil a cada torcedor das duas torcidas que for aos estádios

Por O Dia

Rio - O Ministério Público ingressou, nesta quarta-feira com ação civil pública pedindo a suspensão da Torcida Organizada Young Flu. O MP pediu aind  o cumprimento da decisão expedida pela Justiça, que no último dia 17 de janeiro de 2014, suspendeu a Torcida Força Jovem do Vasco. A ação tem por motivo o confronto ocorrido entre as duas torcidas ocorrido nas imediações do Engenhão no último dia 22 antes da partida entre Vasco e Fluminense. Em caso de descumprimento, o MP quer que cada torcedor desembolse R$ 20 mil por jogo. Para a Força Jovem, o órgão quer ainda uma multa de R$ 301 mil por descumprimento de decisão juducial anterior que proibia a torcida nos estádios. 

Para garantir o pagamento da multa de R$ 301 mil, pelo descumprimento da decisão liminar anterior, o MP pediu, liminarmente, a penhora de bens da sede da Força Jovem do Vasco.

Ao todo, 99 torcedores de Vasco e Fluminense foram detidos pela Polícia Militar naquele domingo após várias brigas no entorno do Estádio Nilton Santos. Um grupo de torcedores teria lançado rojões na direção da torcida rival perto de uma estação de trem. Segundo a GloboNews, torcedores tentaram invadir o Hospital Salgado Filho, mas foram impedidos pela polícia.

Na ação, a promotora de Justiça Glícia Pessanha requer a suspensão da Young Flu de comparecer aos estádios, pelo prazo de um ano, em todo o país, proibindo-se a venda de material da torcida. Pede ainda que torcedores sejam proibidos de usar indumentárias ou acessórios, desenhos ou qualquer outro objeto que represente as torcidas.

“As punições aplicadas até a presente data, bem como as medidas adotadas pelo Ministério Público, judiciais ou extrajudiciais, têm se mostrado ineficientes, o que se torna imperiosa a adoção de providências mais radicais e rigorosas, a fim de limar efetivamente práticas e comportamentos reiteradamente violentos por parte da organizada ré”, narra trecho do documento.

Os autos citam dois conflitos entre as torcidas: o primeiro ocorreu contra a Young Flu e o segundo contra policiais do GEPE, quando integrantes da Força Jovem do Vasco – pertencentes ao grupo de “oposição” à diretoria atual da mesma torcida - tentaram invadir o espaço destinado a esse grupo, denominado “situação”, o qual era protegido pelo grupamento policial visando à prevenção de confrontos. 

Últimas de Rio De Janeiro