Procon encontra irregularidades em nove estabalecimentos de Paquetá

A fiscalização descartou cerca de 20 kg de alimentos impróprios ao consumo

Por O Dia

Rio - Agentes do Procon realizaram nesta quinta-feira , em Paquetá, uma nova ação da Operação Moreninha. Os fiscais vistoriaram 12 estabelecimentos comerciais da ilha, entre supermercado, mercearias, banco, bares, bazares, clube, hotéis, restaurante e pousada. Nove estabelecimentos foram autuados. A fiscalização descartou cerca de 20 kg de alimentos impróprios ao consumo.

Na primeira ação da operação, realizada em 2013, os fiscais tentaram vistoriar a Walderi Mercearia, localizada na Rua Coelho Rodrigues, mas os agentes do Procon foram informados na ocasião que, ao saber que eles estavam na ilha, o dono fechou o estabelecimento e pegou a barca para a Praça XV. Desta vez, para realizar a vistoria e pegar os estabelecimentos desprevenidos, os fiscais doProcon Estadual foram para a ilha descaracterizados, sem coletes nem os ternos negros com eles identificados. Ao descer na ilha foram direto para o estabelecimento onde encontraram e descartaram 6kg de linguiça calabresa e 4kg e 600g de frango defumado vencidos. Algumas unidades do frango estavam vencidas desde dezembro de 2014.

No Paquetá Iate Clube o certificado de potabilidade da água e de dedetização estavam vencidos desde 2013. No local os fiscais encontraram 4kg de produtos sem a informação de sua data de validade, entre filé mignon, molho rosé e empada. O clube também não possuía um exemplar do Livro de reclamações, obrigatório em todos os estabelecimentos comerciais do Rio de Janeiro pela Lei Estadual n° 6.613/13.

Não apresentaram irregularidades os seguintes estabelecimentos: Mercado Nossa Paquetá, Cantina da Regina e Bazar Primavera de Paquetá.

Balanço da Operação Moreninha

1 - Pousada Acordes do Luar (Praça Bom Jesus, 15): Ausência do Livro de Reclamações. Ausência de exemplar do Código de Defesa do Consumidor (CDC) para consulta. Ausência da tabela de preços. Ausência de preservativos no quarto. Ausência de cartaz explicativo sobre HIV. Ausência de ficha de hospedagem de crianças e adolescente. Ausência de cartaz informando que a hospedagem de crianças é feita somente com responsável.

2 - Walderi Mercearia (Coelho Rodrigues, 203): Havia 6 kg de linguiça calabresa e 4 kg e 600g de frango defumado vencidos. Ausência de Livro de Reclamações.

3 - Hotel Farol (Praia das Gaivotas, 796): Havia dois extintores vencidos. Certificado de dedetização vencido. Não foi apresentado certificado de potabilidade da água. Não há quarto e banheiro adaptado para deficientes físicos. Não há rampa de acesso ou elevador que permita acesso de pessoas com necessidades especiais aos quartos. Havia cartaz informando que não é permitida entrada no hotel com bebidas e alimentos, algo que não pode ser proibido. Ausência do Livro de Reclamações.

4 - Bar do Zeca (Praça Bom Jesus, 12): Lixeira sem pedal. Havia 325g de pimenta, 130g de palmito, 600g de chocolate bisnaga, 2kg e 150g de molho tártaro, 1kg e 840g de chocolate e 350g de extrato de tomate vencidos.

5 - Carecas e Frescos (Rua Furquim Werneck, 52): Ausência de Livro de Reclamações.

6 - Paquetá Iate Clube (Praia das Gaivotas, s/n): Certificado de dedetização vencido em 2013. Certificado de potabilidade da água vencido em 2013. Produtos sem informação de validade: 3kg de filet mignon, 500g de molho rosé, 500g de empada. Ausência do Livro de Reclamações.

7 - Banco Itaú (Rua Furquim Werneck, 115): Apenas seis assentos preferenciais. Ausência de cadeira de rodas. Ausência do dispositivo de segurança entre os caixas e o público. O atendimento é realizado sem a utilização de senhas eletrônicas. Livro de reclamação não estava autenticado peloProcon-RJ.

8 - Bazar Thiago (Rua Furquim Werneck, 78): Ausência de cartaz do Disque 151. Ausência de CDC para consulta. Ausência do Livro de Reclamações. Ausência de preço nos produtos no interior da loja.

9 - Hotel Restaurante Meu Cantinho (Rua Doutor Lacerda, 63): Ausência do Certificado do Corpo de Bombeiros. Ausência do Livro de Reclamações. Não havia quarto e banheiro adaptado para pessoas com necessidades especiais.

Últimas de Rio De Janeiro