Maré terá ciclovia de 22 quilômetros ligando a favela aos BRTs e ao Fundão

Ciclofaixas vão chegar ao teleférico, à SuperVia e a Bonsucesso

Por O Dia

Rio - Os moradores do Complexo da Maré vão ganhar 22 quilômetros de ciclofaixas e faixas compartilhadas (pista e calçada) que vão ligar as comunidades às estações dos BRTs TransBrasil e TransCarioca, além do Fundão, à SuperVia. Promovida pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a obra começou nesta quarta-feira e tem 360 dias para ser concluída. Assim, a Maré será a primeira favela do Rio com plano de mobilidade por bicicleta.

Idealizado entre o final de 2013 e início de 2014, o projeto terá o custo de implantação de R$ 7 milhões. A ideia surgiu depois de uma proposta dos moradores da área, que queriam incrementar a implantação do TransBrasil com um plano de mobilidade para a comunidade. A população atingida é estimada em 160 mil pessoas, formada principalmente por jovens. As ciclofaixas, além de facilitar o acesso ao BTR, vão ligar a comunidade ao teleférico do Alemão e ao centro comercial de Bonsucesso.

Simulação mostra como vai ficar a ciclovia do Complexo da MaréDivulgação

Segundo assessoria da secretaria, por enquanto, o trânsito da região não será afetado por conta das obras, já que não há necessidade de interdição das ruas. Há ainda a possibilidade de ser implantado um sistema de aluguel de bicicletas, como já acontece na Zona Sul e no Centro. A possibilidade está sendo discutida com a Prefeitura da Cidade Universitária da UFRJ, que também deseja implantar um sistema de compartilhamento de bicicletas no Fundão.

Clique sobre a imagem para a completa visualizaçãoArte O Dia

O projeto faz parte do programa Rio Capital da Bicicleta, que visa ampliar do sistema de ciclovias no município e incentivar formas mais sustentáveis de transporte. O Rio conta com a maior rede de ciclovias da América Latina, com uma malha de 380 quilômetros. A meta da prefeitura é chegar a 450 quilômetros até 2016.

Reportagem de Flora Castro

Últimas de Rio De Janeiro