'Não vamos aceitar isso' diz secretário de transportes sobre assalto no metrô

Quadrilha armada roubou passageiros em um vagão na Zona Sul. Osório vai se reunir com presidente da concessionária

Por O Dia

Rio - Após o assalto dentro de um vagão do metrô, na noite desta quinta-feira, o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, disse nesta sexta-feira que irá se reunir com o presidente da concessionária Metrô Rio para avaliar a situação de segurança das estações como um todo. Ele reconheceu que as composições mais antigas não possuem sistema de câmeras, mas que as localizadas nas estações podem ajudar na identificação dos criminosos. 

"É inaceitável o metrô do Rio de Janeiro venha sofrer eventos deste tipo. Nós não vamos aceitar isso e vamos precisar de esforço combinado, coordenado, tanto da operadora do metrô, mas também dos órgãos de segurança pública", sentenciou.

LEIA: Quadrilha armada rouba passageiros em vagão do Metrô na Zona Sul

Vítimas de arrastão no Metrô prestaram queixa na 10ª DP (Botafogo)Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Osório pretende se reunir também com a Secretaria de Segurança para traçar um plano que evite que a situação se repita. "O importante é que a autoridade policial identifique os criminosos e tome as providências para que estas pessoas possam ser punidas. Existem imagens e eles podem ser identificados."

Ainda segundo o secretário, o metrô é um transporte seguro, mas o segundo incidente em menos de um ano preocupa. "O metrô tem um histórico de segurança alto. Tivemos dois incidentes em um ano, evidente que isso nos preocupa. O importante é que um criminoso que pretenda agir no metrô tenha certeza que ele não passará impune, com isso acabamos com o problema de segurança (no metrô). Temos que estar atentos para impedir que eventos como esses voltem a acontecer, principalmente punindo os responsáveis", disse.

De acordo com as vítimas do arrastão, a ação rápida, ousada, violenta e intimidatória. Os quatro bandidos - sendo dois armados com revólveres - roubaram passageiros de um vagão da Linha 1, entre as estações Largo do Machado e Flamengo. Em poucos minutos, a quadrilha fez ameaças, roubou celulares, dinheiro, bolsas e laptop. Pelo menos 16 pessoas registraram ocorrência na 10ª DP (Botafogo), mas haviam pelo menos 25 pessoas dentro do vagão. Apenas os idosos não foram vítimas do bando, além de dois homens que iniciaram uma discussão antes do crime.

Últimas de Rio De Janeiro