Mais de duas toneladas de carnes estragadas são encontradas na Ceasa

De 13 estabelecimentos fiscalizados por agentes do Procon do Rio, só um não foi autuado pelo órgão nesta segunda-feira

Por O Dia

Mais de duas toneladas e meia de carnes estragadas são encontradas no centro de distribuições Karapito%2C na CeasaDivulgação

Rio - Foram encontradas, por fiscais do Procon do Rio, mais de duas toneladas e meia de carnes estragadas junto a outras próprias para o consumo humano na Ceasa de Irajá, que fica na Avenida Brasil número 19.001. O alimento fora da validade foi identificado pelos agentes no atacadista Karapito. A fiscalização, que começou às 10h desta segunda-feira e seguiu durante a tarde, também autuou outros locais por não terem o Código de Defesa do Consumidor e livro de reclamações. No estabelecimento, havia carnes vencidas desde 2013.

"Eles (a Karapito) têm 15 dias para apresentar defesa, mas é provável que resulte em multa. Os produtos estavam armazenados sem nenhuma descrição de que seriam descartados e estavam misturados a outros produtos próprios para o cosumo humano", informou o diretor de fiscalização do Procon Rio, Fábio Domingos.

De acordo com Domingos, as duas toneladas e meia de carnes foram descartadas pela fiscalização do Procon e, dos 13 estabelecimentos fiscalizados, somente um não foi autuado, a Casa Coqueirão.

Além da apreensão e descarte das carnes na Karapito, onde foram encontrados 2.571 kg de alimentos estragados, entre eles frango, camarão e carne bovina, um dos restaurantes que fica na própria central de abastecimento também foi notificado por estocar alimentos impróprios para o consumo humano.

Em outro, o supermercado Alvelos Alimentos, os produtos eram armazenados em um banheiro, que era usado como estoque. Os fiscais encontraram 50kg de linguiça sem prazo de validade e baratas no local.

O diretor de fiscalização disse que certamente o Procon voltará à central de abastecimento para novas inspeções.

O responsável pelo atacadista Karapito argumentou que as carnes com prazo vencido encontradas no estabelecimento não estavam na área de estoque para reposição, mas de estoque para trocas e devolução de mercadorias que já vieram com problemas do fornecedor. Mesmo assim, o local foi autuado e o caso será encaminhado à Delegacia do Consumidor (Decon).

Últimas de Rio De Janeiro