Nova concessionária da Ponte surpreende e reduz valor de pedágio

Ecorodovias propôs que travessia fosse feita por R$ 3,28; técnicos decidiram por R$ 3,70 e taxa caiu em R$ 1,50

Por O Dia

Rio - Uma boa notícia para o bolso dos motoristas e que surpreendeu os fluminenses nesta quarta-feira foi a redução do pedágio da Ponte Rio-Niterói, de R$5,20 para R$3,70, a partir de junho. Isso porque a via tem uma nova administradora do trecho, a Ecorodovias, empresa que venceu o leilão de concessão e será a responsável pela Ponte pelos próximos 30 anos. A nova concessionária foi a que ofereceu o menor valor possível de travessia do trecho, R$3,28, custo 36,67% menor que o máximo fixado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Pior para a atual concessionária CCR Ponte, que segue com a concessão até o fim de maio, e cobrando R$ 5,20 pela travessia do trecho. Foi a CCR, inclusive, que fez a oferta menos vantajosa para os motoristas, que seria de R$ 4,24. 

Para o diretor-geral da ANTT, Jorge Bastos, o leilão foi realizado com sucesso. “Conseguimos ter uma redução significativa na tarifa, incluindo grandes obras de fundamental importância para o estado do Rio de Janeiro”, afirmou. Segundo o diretor, as obras ajudarão a diminuir o trânsito e o fluxo da Ponte Rio-Niterói.

Leilão de concessão da Ponte Rio-Niterói aconteceu na Bolsa de Valores de São Paulo e teve a Ecorodovias como vencedoraBM%26Bovespa / Divulgação

Já o ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, disse que o leilão foi mais um sucesso do governo. “Foi excelente. Com a ajuda da iniciativa privada, o governo federal não precisará colocar investimentos e ainda teremos uma economia de 36,67% em relação ao valor do edital”, disse o ministro.

Outras cinco empresas participaram do leilão: a atual CCR Ponte, junta com a CIIS, formando o Consórcio Ponte; a TPI — Triunfo participações e investimentos S.A.; CS Brasil Transportes de Passageiros e Serviços Ambientais Ltda.; Infra Bertin Participações S.A.; Consórcio Nova Guanabara, formado pelas empresas A. Madeira Indústria e Comércio Ltda., Coimex Empreendimentos e Participações Ltda., Urbesa Administração e Participações Ltda. e Rio do Frade Empreendimentos Ltda.

A empresa vencedora da licitação da nova concessão terá que cumprir uma série de exigências, como as que prevêem construções de um viaduto para ligar a Ponte à Linha Vermelha e um mergulhão sob a Praça Renascença, em Niterói. Até o dia 16 abril, dia que será homologada a concessão, as empresas perdedoras podem apresentar recursos. A futura administradora deverá investir cerca de R$ 1,3 bilhão, ao longo dos 30 anos.

Ônibus não deve baixar passagem

O secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, afirmou que a queda do pedágio não deverá provocar a redução das passagens dos ônibus intermunicipais, mas “poderá gerar impacto positivo no cálculo da revisão tarifária de janeiro do ano que vem”. A ANTT ainda não divulgou o pedágio para outros veículos, mas, segundo o professor Sérgio Guerra, da FGV Direito Rio, todas as categorias geralmente são reduzidas proporcionalmente. Ao todo, seis empresas concorreram à concessão. A CCR, que administrou a via nos últimos 20 anos, perdeu porque ofereceu tarifa de R$ 4,24. A EcoRodovias lançou R$ 3,28 (queda de 36,67%), mas o valor foi atualizado devido à variação do IPCA em 2014.

Colaborou Marina Rocha

Últimas de Rio De Janeiro